A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Economia ucraniana se contrairá 12% este ano, indica BM

"Esperamos que o Produto Interno Bruto (PIB) real caia 12% em 2015, com uma contração mais forte na primeira metade do ano", assinalou o relatório

Kiev - A economia ucraniana se contrairá 12% este ano e terá inflação de 50,8%, segundo a previsão macroeconômica atualizada do Banco Mundial, publicada nesta terça-feira.

"Esperamos que o Produto Interno Bruto (PIB) real caia 12% em 2015, com uma contração mais forte na primeira metade do ano e o arrefecimento da queda na segunda", assinalou o relatório.

Os setores mais afetados pela profunda recessão que a Ucrânia enfrenta desde o ano passado são o metalúrgico e o minerador, cujos principais centros de produção estão no leste do país, imerso há um ano e meio em um conflito armado entre Kiev e os separatistas pró-Rússia.

Também sofre o comércio no varejo, lastrado por uma notável redução da renda da população, pela desvalorização da moeda nacional, a redução dos salários reais e a brusca alta das tarifas de energia e de serviços públicos.

As previsões para 2016 também não são agradáveis, com crescimento de apenas 1% e inflação de 12%.

"A recuperação econômica certamente começará mais tarde do que o previsto inicialmente e será menos pronunciada", advertiu o relatório do BM.

Assim, os analistas do organismo internacional preveem crescimento da economia ucraniana de 2% em 2017 e de 3% em 2018, com inflação de 8% e de 5%, respectivamente.

A economia da Ucrânia encolheu 16,3% nos seis primeiros meses do ano, segundo dados do Ministério da Economia ucraniano.

No entanto, o governo do primeiro-ministro, Arseni Yatseniuk, espera "uma tendência positiva na atividade econômica no segundo semestre, e como resultado, uma contração do PIB no final de ano de 8,9%".

Embora os orçamentos estatais prevejam uma queda do PIB de 5,5% com uma inflação de 26,7%, o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o governo de Kiev revisaram a previsão em julho para queda de 9% e inflação de 45,8%.

Em 2014, quando a oposição europeísta derrubou o então presidente, Viktor Yanukovich após três meses de grandes protestos no centro de Kiev, movimento que ficou conhecido como revolução do Maidan, a economia do país se contraiu 7,5% e os preços subiram 24,9%.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também