Dyogo: Modelo passado estimulou agressividade e gerou concessões inviáveis

Presidente do BNDES anunciou que a regulamentação do instrumento de relicitação das concessões em infraestrutura será concluída nos próximos dias

Brasília – O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Dyogo Oliveira, reconheceu nesta quarta-feira, 9, que o modelo de concessões adotado no governo passado – do qual ele também fez parte – “se revelou problemático e gerou concessões que se mostraram inviáveis”.

A autocrítica foi feita durante entrevista concedida no Palácio do Planalto na qual foi anunciado que a regulamentação do instrumento de relicitação das concessões em infraestrutura será concluída nos próximos dias.

Ele citou dois “elementos” que estimularam os concessionários a fazerem lances agressivos nos leilões que agora se mostram insustentáveis. O primeiro foi, no caso dos aeroportos, o governo ingressar como sócio nas concessões, por meio de uma participação de 49% da Infraero nos consórcios.

Na prática, isso funcionou como uma garantia às empresas que o governo bancaria metade da conta, por mais alto que fosse o lance dado em leilão. O segundo foi prever que o pagamento das taxas de outorga fosse diluído ao longo do tempo, de forma que poderiam ser pagas com a geração de receitas do próprio negócio. “Esse modelo já foi alterado”, ressaltou.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.