Acompanhe:

Distribuição dos recursos do pré-sal vai à votação no plenário do Senado

Divisão dos recursos da chamada cessão onerosa já foi aprovada pela Câmara

Modo escuro

Continua após a publicidade
Senado: expectativa é que a matéria seja votada em regime de urgência no plenário da casa ainda nesta terça-feira (15) (Roque de Sá/Agência Brasil)

Senado: expectativa é que a matéria seja votada em regime de urgência no plenário da casa ainda nesta terça-feira (15) (Roque de Sá/Agência Brasil)

D
Da Redação, com Agência Brasil

Publicado em 15 de outubro de 2019 às, 15h03.

São Paulo — Após ter sido aprovado na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado nesta terça-feira (15), o projeto de Lei 5478/2019, que define o rateio, entre estados e municípios, de parte dos recursos do leilão de petróleo do pré-sal a ser realizado no próximo dia 6 de novembro, seguiu para votação no plenário da casa em regime de urgência.

O texto — que já havia sido aprovado pela Câmara dos Deputados — foi aprovado em unanimidade na Comissão sem alterações.

A expectativa é que a matéria seja votada em regime de urgência no plenário da casa ainda nesta terça-feira (15). Se aprovado, o texto vai à sanção presidencial.

Pela proposta aprovada, 15% (R$ 10,95 bilhões) dos recursos que serão divididos serão destinados para estados, da seguinte forma: dois terços conforme os critérios do Fundo de Participação dos Estados – que beneficiam mais Norte e Nordeste – e um terço seguindo as regras do Fundo de Exportação e da Lei Kandir – que beneficiam os estados exportadores.

Outros 15% (R$ 10,95 bilhões) serão destinados para os municípios, segundo os critérios do Fundo de Participação dos Municípios (FMP), priorizando municípios mais pobres. Já a União fica com R$ 49 bilhões, a Petrobras com R$ 33,6 bilhões.

Como o Rio de Janeiro é um estado produtor, ele ficará com R$ 2,4 bilhões.

A divisão dos recursos foi costurado na última semana por deputados, senadores e governadores.

O que é a cessão onerosa?

A chamada cessão onerosa foi um acordo entre a União e a Petrobras para a exploração de campos de petróleo do pré-sal sem licitação, feito em 2010.
O acordo previa a extração de até 5 bilhões de barris pela estatal. Como a quantidade potencial dos poços se mostrou maior, o governo precisará fazer um leilão sobre as áreas excedentes.

Estimativas preveem que a área possa ter de 6 a 15 bilhões de barris de petróleo. Com isso, o megaleilão, marcado para novembro, pode render R$ 106,5 bilhões aos cofres públicos.

Últimas Notícias

Ver mais
IFI reduz estimativa para dívida bruta em 2024, de 78,8% para 77 7% do PIB
Economia

IFI reduz estimativa para dívida bruta em 2024, de 78,8% para 77 7% do PIB

Há 15 horas

Blinken diz que Argentina 'pode contar' com EUA para estabilizar sua economia
Economia

Blinken diz que Argentina 'pode contar' com EUA para estabilizar sua economia

Há 15 horas

Governo prorroga inscrições de programa para participação de mulheres no comércio exterior
Economia

Governo prorroga inscrições de programa para participação de mulheres no comércio exterior

Há 16 horas

Se for candidato, vou me preparar para estar à altura da missão, diz Elmar sobre sucessão de Lira
Economia

Se for candidato, vou me preparar para estar à altura da missão, diz Elmar sobre sucessão de Lira

Há 16 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais