Economia

Crescimento da produção de veículos foi desarmônico

No mundo todo, já estão sobrando neste ano 24,8 milhões de veículos


	 Para 2014, o quadro piora: a sobra sobe para 27 milhões de unidades
 (REUTERS/Fabian Bimmer)

 Para 2014, o quadro piora: a sobra sobe para 27 milhões de unidades (REUTERS/Fabian Bimmer)

DR

Da Redação

Publicado em 24 de novembro de 2013 às 10h54.

São Paulo - No mundo todo, já estão sobrando neste ano 24,8 milhões de veículos, resultado de uma capacidade instalada de 105,8 milhões de veículos, mas produção esperada de 81 milhões. O número supera em 1,8 milhão de veículos a ociosidade de 2012. Para 2014, o quadro piora: a sobra sobe para 27 milhões de unidades.

Segundo projeções da PwC, o cenário só melhora em 2019, quando o excesso global de capacidade cairá para 22,6 milhões de veículos, ante uma produção estimada de 106 milhões de unidades.

"De 2006 para 2019, cerca de 50 milhões de veículos terão sido acrescentados à capacidade produtiva mundial, o equivalente a 350 novas plantas para 150 mil veículos cada", compara o consultor Marcelo

Cioffi. "Houve um crescimento desarmônico", constata. Ajudarão a reduzir a conta da ociosidade em 2019 a continuidade do crescimento dos mercados emergentes e a recuperação dos Estados Unidos e da Europa. Além da melhora nas vendas, os dois blocos promoveram importantes reestruturações que incluíram o fechamento de fábricas.

Só no Estado americano de Michigan, onde está Detroit, considerada a cidade dos carros, havia 19 fábricas de veículos em 2002, número que dez anos depois caiu para 12. "Houve redução do número de fábricas, mas aumento de produtividade", informa Cioffi. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Acompanhe tudo sobre:AutoindústriaCarrosDetroitIndústriaIndústrias em geralVeículos

Mais de Economia

Inflação ao consumidor na China continua em alta

Petrobras prevê perfurar novos poços do pré-sal em 2025 para garantir futuro da bacia de Campos

Senado estuda usar atualização do IR e repatriação para compensar desoneração

‘Temos absoluta confiança que o dólar vai cair’, diz Geraldo Alckmin

Mais na Exame