Economia

Brasil registra pior PIB entre 38 países, segundo Austin Ratings

A taxa dessazonalizada e anualizada ficou em -3,4%; o único outro país monitorado com dado negativo foi a Grécia, com -1,4%.

Nuvens carregadas sob o céu da cidade de São Paulo (Oswaldo Corneti/Fotos Públicas)

Nuvens carregadas sob o céu da cidade de São Paulo (Oswaldo Corneti/Fotos Públicas)

João Pedro Caleiro

João Pedro Caleiro

Publicado em 7 de março de 2017 às 12h52.

Última atualização em 7 de março de 2017 às 17h20.

São Paulo - O Brasil teve o pior resultado de crescimento trimestral entre 38 países monitorados pela Austin Ratings.

Os números divulgados pelo IBGE mostram que o PIB do 4º trimestre recuou 0,9% em relação ao trimestre anterior, na ponta mais pessimista do esperado pelo mercado.

Na conta que compara o 4º trimestre de 2016 com o mesmo período de 2015, a queda é de 2,5% enquanto todos os outros países do ranking tem números positivos.

No topo da lista estão Índia (7%), China (6,8%) e Filipinas (6,6%). A média geral é de 2,7%.

Na taxa dessazonalizada e anualizada, o crescimento brasileiro ficou em -3,4%. O único outro país monitorado que também teve dado negativo nessa conta foi a Grécia, com -1,4%.

As fontes utilizados foram a Austin Rating, IBGE, Bancos Centrais, Eurostat, OECD, FMI e Banco Mundial.

As estimativas para o crescimento brasileiro em 2017 e 2018 são do último Boletim Focus do Banco Central, que expressam a média do mercado.

Os analistas estão atualizando suas projeções hoje com base nos dados novos, e o número para 2017 vai de 0,4% a 1%.

Veja a tabela da Austin Ratings:

4ºT 16 / 4ºT 154ºT 16 / 3ºT 162016 (P)2017 (est.)2018 (est.)
Índia7,0%4,9%6,9%7,2%7,7%
China6,8%7,0%6,7%6,5%6,0%
Filipinas6,6%7,0%6,9%6,7%6,8%
Indonésia4,9%n.d.5,0%5,3%5,5%
Ucrânia4,7%10,5%2,0%2,5%3,0%
Malásia4,5%n.d.4,3%4,6%4,7%
Israel4,2%6,2%4,0%3,0%2,9%
Polônia3,2%7,0%2,8%3,4%3,3%
Lituânia3,2%5,6%2,2%3,0%3,3%
10ºEslováquia3,1%5,0%3,4%3,3%3,7%
11ºHong Kong3,1%4,8%1,2%1,9%2,8%
12ºEspanha3,0%2,8%3,2%2,3%2,1%
13ºTailândia3,0%1,7%3,2%3,3%3,1%
14ºPeru3,0%-0,2%3,9%4,1%3,6%
15ºCingapura2,9%12,3%2,0%2,2%2,6%
16ºTaiwan2,9%1,8%1,5%1,7%1,9%
17ºEstônia2,7%7,8%1,0%2,5%2,9%
18ºLetônia2,6%8,1%1,0%3,4%3,7%
19ºMéxico2,4%2,9%2,1%1,7%2,0%
20ºSuécia2,3%4,2%3,1%2,6%2,2%
21ºHolanda2,3%2,0%2,0%1,6%1,8%
22ºCoréia do Sul2,3%1,6%2,7%3,0%3,1%
23ºReino Unido2,0%2,9%2,0%1,5%1,4%
24ºPortugal2,0%2,5%1,4%1,1%1,2%
25ºEstados Unidos1,9%1,8%1,6%2,3%2,5%
26ºDinamarca1,9%0,9%1,0%1,4%1,7%
27ºNoruega1,8%4,5%0,6%1,2%1,8%
28ºAlemanha1,8%1,7%1,8%1,5%1,5%
29ºÁustria1,7%2,0%1,5%1,2%1,2%
30ºJapão1,7%1,0%0,9%0,8%0,5%
31ºColômbia1,6%4,0%2,0%2,7%3,8%
32ºHungria1,6%1,6%2,0%2,5%2,4%
33ºBélgica1,2%2,0%1,2%1,4%1,4%
34ºFrança1,2%1,7%1,2%1,3%1,6%
35ºItália1,1%0,8%0,9%0,7%0,8%
36ºFinlândia1,1%0,2%1,3%1,1%1,3%
37ºGrécia0,2%-1,4%0,3%2,8%3,1%
38ºBRASIL-2,5%-3,4% (*)-3,6%0,49%2,39%
-Rússian.d.n.d.-0,8%1,1%1,2%

 

Acompanhe tudo sobre:Crescimento econômicoCrises em empresasÍndiaPIBPIB do BrasilRecessão

Mais de Economia

Déficit em conta corrente soma US$ 2,516 bilhões em abril, afirma BC

Conselho da Petrobras aprova Magda Chambriard como presidente da companhia

Justiça libera R$ 2,3 bi para aposentados que ganharam ações contra o INSS; veja como consultar

Tarcísio sanciona salário mínimo paulista de R$ 1.640; veja quem tem direito

Mais na Exame