Economia

Brasil pede à Argentina inclusão do açúcar no acordo do Mercosul

O assunto estará na pauta do encontro entre o presidente brasileiro, Michel Temer, e o argentino, Mauricio Macri, na terça-feira em Brasília

Mercosul: segundo Maggi, até o momento o açúcar não está presente no acordo do Mercosul, porque argentinos temem uma avalanche de açúcar barato na Argentina, prejudicando a produção local (Divulgação/Getty Images)

Mercosul: segundo Maggi, até o momento o açúcar não está presente no acordo do Mercosul, porque argentinos temem uma avalanche de açúcar barato na Argentina, prejudicando a produção local (Divulgação/Getty Images)

R

Reuters

Publicado em 6 de fevereiro de 2017 às 16h26.

São Paulo - O Brasil vai pedir que a Argentina aceite incluir o açúcar no acordo do Mercosul, para que o produto possa fazer parte das negociações entre o bloco econômico sul-americano e a União Europeia, disse nesta segunda-feira o ministro da Agricultura do Brasil, Blairo Maggi.

O assunto estará na pauta do encontro entre o presidente brasileiro, Michel Temer, e o argentino, Mauricio Macri, na terça-feira em Brasília.

Segundo Maggi, até o momento o açúcar não está presente no acordo do Mercosul, que busca eliminar barreiras comerciais entre os países membros, porque argentinos temem uma avalanche de açúcar barato na Argentina, prejudicando a produção local.

"Nós demos garantias a eles que não vamos invadir o mercado argentino", afirmou Maggi a jornalistas, após um evento na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

O ministro disse que a inclusão na lista de produtos do Mercosul é essencial para que o açúcar possa ser incluído nas discussões em andamento de um acordo bilateral entre Mercosul e União Europeia.

Desde o surgimento do Mercosul, em 1991, as negociações do setor açucareiro estão de fora da integração econômica e tarifária do bloco, ficando o açúcar como uma exceção ao livre comércio dentro do bloco.

O presidente do Centro Açucareiro, uma associação de empresas do setor na Argentina, Enrique Nogues, não ouviu falar sobre nenhum acordo para a inclusão, mas opõe-se à ideia.

"Pode ser que os funcionários brasileiros façam um pedido, mas estimamos que não haverá nenhuma mudança", afirmou o executivo, destacando que qualquer alteração de regras teria que ser aprovada pelo parlamento argentino.

Uma fonte do ministério de Agricultura da Argentina disse à Reuters que "não há nada firme" sobre a inclusão do açúcar no acordo do Mercosul.

"O tema do açúcar é de interesse do Brasil, que pode ser solicitado por equipes técnicas, mas não se avançou neste sentido", disse.

O Brasil é o maior produtor e exportador de açúcar, com vendas externas da ordem de 27 milhões de toneladas, segundo o USDA. Já a Argentina é o décimo maior exportador global, com 550 mil toneladas na temporada 2016/17.

Acompanhe tudo sobre:acucarArgentinaBrasilMercosul

Mais de Economia

Comissão Mista de Orçamento volta ao trabalho nesta quarta-feira

Invasores tentaram movimentar R$ 9 milhões do Ministério da Gestão na última sexta

Votação de projeto que libera R$ 15,7 bi no Orçamento deve destravar sessão de vetos do Congresso

Mais na Exame