Pressionado, Guedes diz que duas MPs contra vírus saem hoje e duas amanhã

O governo dá uma resposta a quem vem cobrando mais agilidade na aprovação das medidas de suporte aos mais vulneráveis

O ministro da Economia, Paulo Guedes, fez um breve pronunciamento no início da tarde desta quarta-feira, ao lado do presidente Jair Bolsonaro, no qual disse que duas Medidas Provisórias de combate aos impactos da pandemia de coronavírus na economia serão assinadas hoje e outras duas amanhã.

O governo dá uma resposta a quem vem cobrando mais agilidade na aprovação das medidas de suporte aos mais vulneráveis em meio ao isolamento social que fechou o comércio não essencial e reduziu drasticamente a circulação de pessoas nas ruas.

As medidas mencionadas pelo governo na entrevista coletiva já haviam sido anunciadas na semana passada e, segundo Guedes, totalizam 200 bilhões de reais, o que ele diz que representa 2,6% do produto interno bruto (PIB) do Brasil, para o combate à pandemia e para a preservação de vidas e empregos.

Uma delas, ressaltada por Guedes, permite ao governo financiar parte dos salários de trabalhadores que tiverem jornada ou renda reduzidas pelas empresas 20%, 25% ou 30%, segundo o ministro. O programa para manutenção dos empregos formais deve custar 51 bilhões de reais aos cofres públicos.

Outra medida mencionada e que ainda precisa ser regulamentada direciona 40 bilhões de reais em crédito a pequenas e médias empresas que estiverem em dificuldade para pagar o salário dos funcionários. Desse valor, 34 bilhões de reais virão diretamente do Tesouro Nacional e o restante virá do próprio setor bancário.

Falta também Bolsonaro sancionar o socorro de 600 reais por mês aos trabalhadores informais, aprovado pelo Senado na segunda-feira 30. A equipe econômica trabalha no cálculo para definir qual será o impacto da medida no orçamento.

Esta última medida, segundo especialistas, é a mais urgente, já que o Brasil tem 38 milhões de trabalhadores informais que não serão contemplados pelos adiantamentos de FGTS ou do seguro-desemprego e não têm crédito facilitado.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.