Bolsonaro diz que fechará fronteira com Venezuela por causa de coronavírus

Segundo o presidente, a decisão foi tomada para impedir o colapso do sistema de saúde de Roraima; passagem de mercadorias será mantida

Jair Bolsonaro: presidente decidiu fechar fronteiras como medida de contenção à disseminação do Covid-19 (Palácio do Planalto/Flickr)

Jair Bolsonaro: presidente decidiu fechar fronteiras como medida de contenção à disseminação do Covid-19 (Palácio do Planalto/Flickr)

R

Reuters

Publicado em 17 de março de 2020 às 18h22.

Última atualização em 17 de março de 2020 às 18h22.

O presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta terça-feira que o governo editará uma portaria para fechamento da fronteira entre Brasil e Venezuela, mantendo apenas a passagem de mercadorias.

Segundo o presidente, a decisão foi tomada para impedir o colapso do sistema de saúde de Roraima, mas não é preciso fechar totalmente a fronteira porque existe uma dependência da economia do Estado do comércio com a Venezuela.

“Amanhã tem uma portaria. Não é um fechamento total da fronteira, será mantido o tráfego de mercadorias”, disse o presidente.

Bolsonaro afirmou ainda que a decisão foi tomada porque essa é uma fronteira “mais sensível”, mas que fechamento de fronteiras “não é uma solução mágica”.

Mais cedo, o ministro da Saúde, Henrique Mandetta, disse que sua pasta já havia se manifestado favoravelmente. Ressaltou que o sistema de saúde da Venezuela já entrou em colapso e o Estado de Roraima não capacidade de atender mais venezuelanos.

Mais de Economia

Segurança no Brasil tem impacto no prêmio de risco, diz Campos Neto

Prates afirma que não há crise na Petrobras e que tem boa relação com Lula e Silveira

Demanda por diesel sobe 8,7% no 1º bimestre, mas deve perder força no semestre, diz EPE

Se incerteza continuar alta, BC tem de trabalhar no ritmo de cortes, afirma Campos Neto

Mais na Exame