Acompanhe:

BCE pode impor mais altas significativas de juros após março, diz dirigente

Nagel também disse ser a favor de que o BCE reduza a carteira de seu programa de compra de ativos em ritmo mais intenso a partir de julho

Modo escuro

BCE: No começo de fevereiro, o BCE elevou seus juros básicos em 50 pontos-base (Ralph Orlowski/Reuters)

BCE: No começo de fevereiro, o BCE elevou seus juros básicos em 50 pontos-base (Ralph Orlowski/Reuters)

E
Estadão Conteúdo

Publicado em 1 de março de 2023, 10h14.

Dirigente do Banco Central Europeu (BCE), Joachim Nagel disse nesta quarta-feira, 1º de março, que a instituição poderá ter de implementar mais altas significativas de juros depois da reunião de política monetária deste mês. No começo de fevereiro, o BCE elevou seus juros básicos em 50 pontos-base e previu mais um aumento da mesma magnitude para março.

Nagel, que também é presidente do BC alemão (Bundesbank), também afirmou que os juros precisam ser mais altos para que a inflação da zona do euro volte à meta do BCE, que é de taxa de 2%.

"Para conseguir isso, precisamos que as taxas de juros estejam em um nível suficientemente alto. E precisamos manter esse nível até que os dados e as projeções nos forneçam evidências suficientes de que a inflação está voltando para nossa meta", disse Nagel, em discurso introdutório para o lançamento do relatório anual do Bundesbank.

Ele disse ainda que cortes de juros não fariam sentido antes da queda também da inflação subjacente, que desconsidera preços de energia e alimentos. Ele previu que a inflação deverá diminuir gradualmente, mas ressaltou que as pressões de preços subjacentes continuam muito altas.

Nagel também disse ser a favor de que o BCE reduza a carteira de seu programa de compra de ativos (APP, pela sigla em inglês) em ritmo mais intenso a partir de julho.

Créditos

Estadão Conteúdo

Estadão Conteúdo

Agência de notíciasProdução e distribuição de informações, com o melhor conteúdo de notícias, vídeos e o maior acervo de fotojornalismo do País.