Alemanha está à beira de uma recessão, diz presidente do instituto Ifo

Mais cedo, o Ifo divulgou que seu índice de sentimento das empresas alemãs caiu de  92,2 pontos em julho para 88,6 pontos, atingindo o menor nível desde junho de 2020
Alemanha: "O sentimento nos negócios alemães esfriou significativamente", apontou Fuest (David GANNON/Getty Images)
Alemanha: "O sentimento nos negócios alemães esfriou significativamente", apontou Fuest (David GANNON/Getty Images)
E
Estadão ConteúdoPublicado em 25/07/2022 às 09:27.

O Presidente do instituto de pesquisa alemão Ifo, Clemens Fuest, avaliou nesta segunda-feira, 25, que "a Alemanha está à beira de uma recessão".

Mais cedo, o Ifo divulgou que seu índice de sentimento das empresas alemãs caiu de  92,2 pontos em julho para 88,6 pontos, atingindo o menor nível desde junho de 2020.

O resultado deste mês ficou abaixo da expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previam queda do indicador a 90,5 pontos. O resultado de junho foi ligeiramente revisado para baixo, de 92,3 pontos originalmente.

O chamado subíndice de expectativas econômicas do Ifo recuou de 85,5 para 80,3 pontos no mesmo período. Já o subíndice de condições atuais diminuiu de 99,4 para 97,7 pontos. A pesquisa mensal do Ifo envolve cerca de 9.000 empresas dos setores de manufatura, serviços, comércio e construção.

"O sentimento nos negócios alemães esfriou significativamente", apontou Fuest, em comunicado. As empresas na Alemanha estão esperando que os negócios fiquem muito mais difíceis nos próximos meses e também estão menos satisfeitas com a situação atual, acrescentou o presidente do instituto.

LEIA TAMBÉM: 

Do cobre ao petróleo, commodities sinalizam redução da inflação (mas também risco de recessão)