3º mais rico do México defende bitcoin e Banco Azteca aceitará criptomoeda

Bilionário Ricardo Salinas, que diz ter 10% de seu portfólio em bitcoin, afirma que banco trabalha para integrar criptomoeda e "seguir promovendo a liberdade"
 (AFP/Getty Images)
(AFP/Getty Images)
G
Gabriel Rubinsteinn

Publicado em 28/06/2021 às 17:44.

Última atualização em 28/06/2021 às 18:14.

O bilionário Ricardo Salinas Pliego, terceira pessoa mais rica do México, voltou a falar positivamente sobre o bitcoin no domingo, 28, e anunciou que o Banco Azteca, fundado por ele em 2002, pretende começar a aceitar a criptomoeda.

Presidente do Grupo Salinas, que controla empresas de telecomunicações, varejo e até um canal de TV, Ricardo Salinas Pliego deu entrevista a um canal no YouTube recentemente, no qual disse acreditar que o bitcoin é "um ativo com características extraordinárias", que fazem da criptomoeda o "ouro do mundo moderno".

O empresário também afirmou que os governos não gostam do bitcoin porque, com a criptomoeda, as pessoas podem parar de usar a "armadilha fiduciária" que são as moedas nacionais, que ele considera uma fraude. "O dólar como moeda é uma piada", disse.

O vídeo foi publicado nas redes sociais por uma série de entusiastas do bitcoin, como Anthony Pompliano e Michael Saylor, CEO da MicroStrategy. O último postou o vídeo acompanhado da mensagem: "Se você tem a esperança de proteger o seu patrimônio por gerações, Ricardo Salinas sugere que você invista em bitcoin. A estratégia é simples: escolha o ativo de mais qualidade que encontrar e segure".

Salinas, então, respondeu à publicação de Saylor, no Twitter, e comentou: "Eu recomendo o uso de bitcoin, e meu banco trabalha para se tornar o primeiro banco do México a aceitar bitcoin". Depois, ele enviou uma segunda resposta: "Bitcoin é o novo ouro, mas muito mais portátil, transportar bitcoin é muito mais fácil do que levar barras de ouro nos bolsos... e eu sei que vou ser atacado pelos amantes do ouro".

O mexicano ainda fez uma terceira publicação sobre o assunto, desta vez ressaltando o uso do bitcoin como forma de diversificar a carteira e reforçando os planos do banco Azteca: "Bitcoin é uma boa forma de diversificar seu portfólio de investimentos e acredito que qualquer investidor deveria estudar sobre as criptomoedas e o seu futuro. No Banco Azteca estamos trabalhando para trazê-las aos nossos clientes e seguir promovendo a liberdade".

Junto com o texto, publicou também uma imagem mostrando o aumento do preço de um copo de café desde 1990, que dizia "A inflação é uma morte silenciosa. O dólar rouba sileciosamente o seu poder aquisitivo desde 1913. Compre bitcoin!"

O interesse de Ricardo Salinas Pliego pelo bitcoin não é novidade. Em novembro, ele já tinha falado sobre o assunto e afirmado que investiria 10% de seu patrimônio de 15,8 bilhões de dólares (78 bilhões de reais) na criptomoeda.