Web3: o grande tema dos negócios globais em 2022

"Ainda não se sabe o impacto da Web3 nos negócios, mas já é possível prever que será importante no que diz respeito à transformação do modelo de internet"
 (Sitthiphong/Getty Images)
(Sitthiphong/Getty Images)
P
Pyr MarcondesPublicado em 13/01/2022 às 14:11.

Em verdade, ainda não se sabe o impacto exato da Web3 nos negócios, mas já é possível prever que será importante no que diz respeito à transformação do modelo de internet e de negócios na internet que estávamos acostumados até hoje. Mesmo que dê tudo meio errado, e que muitas das previsões mais ousadas não se cumpram, a Web3, fundamentada em blockchain, acontecerá de alguma forma, e só isso será já altamente relevante em termos de mudanças no como fazemos negócios usando plataformas digitais. O que é a maior parte dos negócios hoje, diga-se.

Há alguns aspectos que podemos considerar como básicos quando olhamos essa tendência que se aproxima e que, na verdade, começa já seu caminho de teste e disseminação. Veja abaixo.

    1. A Web3 é fundamentada em blockchain e o blockchain traz junto as criptomoedas. Blockchain, você sabe, numa explicação simples, é uma  plataforma tecnológica que viabiliza um sistema de registro digital e online de informações de uma forma que torna praticamente impossível alterar ou hackear as informações e dados nela registrados. É um organismo descentralizado, pier to pier, assegurando transparência e imutabilidade em tudo que ocorre nela. Olhando sob a ótica financeira, um blockchain é essencialmente um livro-razão digital de transações, que é duplicado e distribuído por toda a rede de sistemas de computador inscritos na cadeia. Pois as criptomoedas, você também sabe, operam sobre esse mesmo sistema-plataforma, tendo se tornado uma espécie de economia paralela semi-autônoma, com suas próprias lógicas financeiras e regras próprias de negócios. A Web3 não será mais a web que conhecemos, mas uma web operada sobre blockchain. Com intermediação financeira de criptomoedas. E isso muda tudo.
    2. Excelência máxima no controle de dados e privacidade, em tese dotando o consumidor e o cidadão de poderes que ele nunca teve antes - Esse tem sido o item que muitos dos entusiastas de Web3 mais apostam suas fichas, em busca da popularização e simpatia do conceito, uma vez que a vulnerabilidade de nossos dados de consumidores e cidadãos foi anti-eticamente arregaçada e frontalmente desrespeitada pelos grandes players de tecnologia e pelos governos, fora os hackers, a ponto de não temos hoje mais qualquer controle, nem ideia, do que fazem com nossas informações digitais e nossos dados pessoais no mundo da web. Nele, somos personas digitais com outras características, muitas delas em verdade que nada tem a ver conosco. Pois a Web3 promete reestruturar essa vulnerabilidade, colocando em seu lugar o consumidor e o cidadão com controle absoluto de seus dados e as informações que trafegam sobre eles (nós todos) pela internet e no ambiente digital em geral. A ver se essa promessa se cumpre.]
    3. A protocolização documental muda, se simplifica e se agiliza - Possivelmente acabei de inventar a palavra protocolização, mas o que quero dizer com ela é no mundo digital os protocolos documentais são hoje feitos já de forma bem mais ágil e inteligente do que no mundo real, mas ainda assim, esses protocolos são 1.0. Não são altamente seguros, nem altamente transparentes, nem totalmente imutáveis. Pois é isso que vai acontecer na Web3 e sua plataforma embedada de blockchain. Os contratos serão inteligentes (smart contracts). Quando os contratos tornam-se códigos, eles passam a ser executados de acordo com critérios predefinidos automaticamente. Não há mais a necessidade de papelada cartorial.O impacto disso nos negócios é brutal, tanto do ponto de vista operacional, quanto do ponto de vista jurídico, como ainda do ponto de vista da eficácia e velocidade. Estamos falando de contratos os mais diversos e de todo tipo de documentação necessária para a protocolização dos negócios. Isso vai acelerar e ganhar uma segurança inédita na história.
    4. A globalização ganha uma plataforma descentralizada e uma moeda igualmente global - Não existe Bitcoin dos EUA ou do Brasil. Existe Bitcoin. Uma moeda global, assim como todas as outras criptomoedas. O tempo de atividade e o SLA para os livros-razão distribuídos não serão mais combinados ou intermediados por nenhum fornecedor de software empresarial e serão de classe mundial. O custo processual da globalização e custo capex com coisas como data centers, por exemplo, tenderá a cair drasticamente. Será possível fazer negócios literalmente com quaisquer empresas ou pessoas em qualquer lugar do mundo, sem qualquer tipo de barreira jurídica ou monetária e cambial.

Obviamente há muito mais a ser descoberto e a ser discutido por todos nós sobre a Web3. Ela será o grande tema dos negócios agora em 2022. Se ligue e se atualize. Porque será altamente indispensável e necessário.