Primeiro emprego, primeira prioridade

No ano passado, foram quase 25 mil contratações diretas no Brasil, e mais de 50 mil somando todos os países onde operamos
 (Leandro Fonseca/Exame)
(Leandro Fonseca/Exame)
Por OpiniãoPublicado em 01/02/2022 12:10 | Última atualização em 01/02/2022 14:57Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Woods Staton*

Nesta semana anunciamos ao mercado financeiro um novo ciclo de investimentos da Arcos Dorados na América Latina e Caribe. Para o triênio 2022-2024 serão aproximadamente R$ 3,5 bilhões, ao câmbio de hoje, para a abertura de restaurantes, modernização da base instalada e desenvolvimento de novas tecnologias. Do total, o Brasil receberá cerca de R$ 1 bilhão.

Essa alocação de recursos nos 20 países onde estamos presentes, com sólido destaque ao mercado brasileiro, renova o nosso compromisso iniciado há 15 anos de contribuir de maneira ativa com o desenvolvimento econômico dessas localidades. A expansão da nossa capilaridade representa, entre outros aspectos, a criação de milhares de empregos diretos e indiretos, por meio do crescimento da nossa cadeia de fornecedores.

Nada mais pertinente numa região cujo desemprego é uma das principais problemáticas sociais. Segundo o Datafolha, são 13 milhões de brasileiros sem carteira assinada, que representa cerca de 12% da população economicamente ativa ao fim de 2021. A questão é ainda mais sensível para quem tem entre 18 e 24 anos, cuja taxa de desemprego é bem mais do que o dobro da média geral: 31%.

Só no ano passado, foram quase 25 mil contratações diretas apenas no Brasil, e mais de 50 mil somando todos os países onde operamos - a grande maioria de jovens promissores que nunca tinham tido a primeira experiencia profissional -, além de outras dezenas de milhares de vagas oferecidas pelos parceiros.

Mas temos consciência que não basta apenas contratá-los. É preciso também capacitá-los para enfrentar o mercado de trabalho cada vez mais competitivo. Somente em 2021, destinamos quase 400 mil horas de treinamento online e presencial aos nossos quase 100 mil funcionários, grande parte por meio da nossa universidade corporativa.

Todo esse investimento para desenvolver pessoas nos permite ser reconhecidos como um dos maiores e melhores geradores do primeiro emprego formal em toda a América Latina, segundo institutos independentes que medem clima organizacional.

Olhando adiante, e considerando os investimentos financeiros anunciados na expansão de nossa operação, sabemos que podemos acelerar ainda mais esse impacto positivo na transformação da sociedade.

Somente em 2022, entre novos postos de trabalho e a rotação natural inerente da nossa indústria, temos a previsão de contratar mais de 50 mil pessoas na América Latina e Caribe para os nossos restaurantes, sendo aproximadamente 20 mil deles no Brasil. Todas elas terão a oportunidade de trabalhar em uma companhia que privilegia a meritocracia e que preza por um ambiente saudável, democrático e livre de preconceitos.

Nossa missão como Arcos Dorados ao operar os restaurantes McDonald’s é servir a melhor experiencia de alimentação aos cerca de 4 milhões de clientes que diariamente nos elege para comer o seu hamburguer preferido nos mercados onde atuamos.

Mas a nossa vocação, apoiada em nossos valores corporativos, vai além. Está em nosso DNA. É efetivamente um pilar fundamental da nossa plataforma ESG, chamada Receita do Futuro, que eu faço questão de liderar pessoalmente para garantir uma mudança de perspectiva em uma região com a qual temos fortes laços econômicos e, principalmente, afetivos.

*Woods Staton é Presidente Executivo do Board da Arcos Dorados (Operadora dos restaurantes McDonald’s na América Latina e Caribe)