Como se planejar para não precisar contar com a roupa amarela na virada

O que eu quero falar com você aqui, empreendedora e empreendedor, é: o que você pode fazer, que está no seu controle, pra 2022 ser melhor?
Onde você quer chegar? Quantos produtos quer ter? Quantas pessoas quer ajudar/quantos clientes quer alcançar? Para ter respostas, você precisa antes se fazer algumas perguntas (poba/iStockphoto)
Onde você quer chegar? Quantos produtos quer ter? Quantas pessoas quer ajudar/quantos clientes quer alcançar? Para ter respostas, você precisa antes se fazer algumas perguntas (poba/iStockphoto)
N
Nathália ArcuriPublicado em 22/12/2021 às 14:25.

Por: Nathália Arcuri

Se você não estava em uma caverna nos últimos dois anos, você provavelmente sabe que eles foram difíceis (pra não dizer apocalípticos). Ainda estamos enfrentando as consequências da pandemia em todas as esferas da sociedade e a crise está longe de acabar.

E não vai adiantar nada colocar uma roupa amarela na virada esperando que isso resolva por mágica as suas finanças se você não fizer a lição de casa ao longo do ano.

Então sobre o que eu quero falar com você aqui, empreendedora e empreendedor, é: o que você pode fazer, que está no seu controle, pra 2022 ser melhor?

Se você respondeu: "PLANEJAR!", você é o orgulho da Nath. Mas você precisa ter um plano para poder planejar (não é a mesma coisa que reunião pra marcar reunião - aqui realmente é importante).

Então, vamos lá, primeira coisa:

  1. Faça um balanço do ano

 O que você aprendeu esse ano? O que deu certo e o que você vai fazer diferente no próximo?

 Você perdeu clientes? Gastou um dinheiro que não podia por não ter reserva de emergência? Na época em que você estava vendendo muito, você soube cuidar do seu dinheiro para que tivesse uma sobra pros meses de vacas magras (a gente vai falar mais sobre isso)?

 Aqui é o momento de encarar de frente os fatos e acionar a chave da responsabilidade sobre a nossa própria vida (e situação financeira). E isso começa quando a gente assume que lá atrás, sim, poderíamos ter tomado algumas decisões que teriam nos colocado em uma posição diferente - como uma situação um pouco menos desconfortável para passar pela crise, por exemplo.

 

2 - Separe (de uma vez por todas!) pessoa física da pessoa jurídica

Tem muita gente que começa um micro empreendimento sem considerar as burocracias, separação de contas e abertura de um CNPJ, ou seja, vai atropelando os passos BÁSICOS!

Portanto, pesquise, busque informações e se atualize de todo o processo. Se ainda não tiver, você precisará abrir um MEI, um ME ou um EPP. Isso será fundamental pra profissionalizar seu negócio.

Sua empresa precisa ser tratada como empresa, não como um novo emprego. A sua conta é sua, a da empresa é a da empresa. Nada de receber PIX de cliente na conta física, de tratar com fornecedor em veículos pessoais, porque isso pode – e vai – te causar problemas lá na frente!

Ah, e não esquece de pagar um SALÁRIO pra você mesma. Isso mesmo. Você precisa receber uma quantia pelo função que exerce na companhia.

 

3 - Defina metas

Onde você quer chegar? Quantos produtos quer ter? Quantas pessoas quer ajudar/quantos clientes quer alcançar? Para ter respostas, você precisa antes se fazer algumas perguntas.

Mas atenção: na hora de projetar o crescimento da sua empresa, você precisa manter os pés no chão e as expectativas realistas. Levante dados, analise o histórico e faça planos ousados, mas atingíveis.

E lembre de definir os indicadores de resultados. Quais números você vai olhar para saber que está indo bem? Por exemplo, se você quer ter mil clientes novos até o final de 2022, precisa atingir uma média de 83 novos clientes/mês. Os indicadores servem como um GPS pra mostrar se você está no caminho certo. E se não estiver (e estiver atenta aos indicadores), ainda terá tempo para recalcular a rota.

 

4 - Trace um plano

A pergunta do milhão: o que você vai fazer pra chegar lá?

Quais serão as suas estratégias? Fará tudo 100% online? Vai sair com carro de som na rua? Vai distribuir panfletos (alerta vermelho sustentável)? Ou fará um esquema de parcerias, permutas e divulgações em eventos? Enfim, considere um plano de ação de negócios E de marketing EFICIENTES!

  

5 - Pense no pior

"Ai, Nathalia, que pessimista". Calma! Não é pra ficar pensando que tudo vai dar errado. Mas você precisa pensar no que PODE dar errado, justamente pra estar preparada pra agir caso aconteça.

Você tem dois caminhos: o primeiro é do otimista sonhador, que acredita que tudo vai dar certo e prefere não contar com as imprevisibilidades do negócio e fica à mercê do que pode acontecer (coisas boas e ruins).

O segundo é do otimista realista, que acredita que tudo vai dar certo, mas escolhe se proteger contra as imprevisibilidades que certamente acontecerão.

Algumas medidas de precaução são: criar uma reserva de emergência poderosa, desenhar cenários de baixa, não esperar um retorno rápido ou lucros exorbitantes e, é claro, vislumbrar soluções prévias para algumas situações comuns, como um aluguel reajustado, uma baixa nas vendas, perda de funcionários, problemas técnicos, alta de insumos.

 

6 - Reinvista no seu negócio

Se você quer ajudar mais pessoas com o produto ou serviço que você oferece, crescer e, consequentemente, fazer mais dinheiro, você PRECISA aprender a separar parte do seu lucro para aprimorar o que provavelmente é sua principal (ou única) fonte de renda: sua empresa.

Esse investimento pode ser em melhoria de aparelhos, softwares, contratação de algum parceiro, e principalmente, investimento na cabeça por trás daquele negócio: você. O quanto você coloca de tempo, dinheiro e energia para ser um empresário mais qualificado?

Então esquece a roupa amarela (ou não, você é livre pra usar o que quiser e eu não mando em você!), mas não deposite nela um poder que está só nas suas mãos!

E um 2022 de sucesso e pra todos nós!