Comunidades a 1000 estreia terça-feira, 1º de junho

Criamos o primeiro reality show de impacto positivo COMUNIDADES A 1000; saiba mais
. Acolhemos cada um dos negócios, e mesmo quem não ficou em primeiro lugar, recebe aceleração de diversas formas (Germano Lüders/Exame)
. Acolhemos cada um dos negócios, e mesmo quem não ficou em primeiro lugar, recebe aceleração de diversas formas (Germano Lüders/Exame)
C
Cris Arcangeli — Empreender Liberta

Publicado em 31/05/2021 às 14:39.

Última atualização em 31/05/2021 às 14:39.

Por: Cris Arcangeli

Feliz em estar de volta aqui nessa edição extra por uma notícia que vai transformar a sua vida, como mudou a minha. Como falei aqui semana passada, criei o movimento EMPREENDER LIBERTA e uma das nossas bandeiras é apoiar o empreendedorismo com qualidade. Pensando nisso, criamos o primeiro reality show de impacto positivo COMUNIDADES A 1000, que vai acelerar negócios de nas comunidades do Brasil A primeira temporada acontece em Paraisópolis.

A convite do líder da comunidade Gilson Rodrigues, o “prefeito de Paraisópolis”, selecionamos cinco negócios idealizados e conduzidos por mulheres na comunidade, que passaram por um pitch comigo e mais convidados/jurados como o próprio Gilson, além de Daniel Cavaretti (co-fundador G10 Favelas) e Marcos Paulo (educador e mentor digital). Durante o pitch de quatro minutos, as empreendedoras receberam também uma mentoria dos jurados.

Após apresentação dos pitches, escolhemos a primeira e segunda colocadas pelas notas do Pitch e as ganhadoras recebem uma mentoria presencial para acompanhar e gerar uma transformação profunda no seu negócio e um prêmio em dinheiro (primeiro lugar). Todas as demais, recebem mentoria e acompanhamento online e aceleração na modelagem de negócios.

A grande diferença é que todo mundo ganha. Acolhemos cada um dos negócios, e mesmo quem não ficou em primeiro lugar, recebe aceleração de diversas formas.

A estreia acontecerá no dia 1 de junho (terça-feira) com uma live streaming direto da comunidade de Paraisopolis, às 19h30, no canal do Youtube Cris Arcangeli. Na live especial, todas as empreendedoras serão recebidas pelos jurados, sob o comando da apresentadora Fefa Moreira. Diversas atrações estão confirmadas para a estreia, com apresentações e conteúdos dos jurados Cris Arcangeli, Gilson Rodrigues, Dani Cavaretti e Marcos Paulo, além de atrações como Kell Smith (cantora e compositora nascida em Paraisópolis) e Acácio Reis, percursionista e fundador e regente da @unidosdeparaisopolis, entre outros.

O programa, que conta com patrocínio do APP Local e da Edduz, uma das maiores plataformas de educação online do país, vai além dos pitches e promove também investimento, parcerias, educação empreendedora e principalmente visibilidade de qualidade para todas as empresas e seus participantes, trazendo verdadeiramente transformação para seus negócios e seu entorno. A primeira temporada é o projeto piloto e tem sete episódios. Na grade, ela será apresentada toda segunda-feira pelo YouTube Cris Arcangeli.

Todo o modelo de cada negócio apoiado estará ancorado na esolidar.com, software que oferece, em uma só plataforma, ferramentas para gerenciar impacto social de forma descomplicada e completa, que hospedará o Comunidades a Mil.

De lá, é possível acessar, em tempo real, cada etapa da Aceleração, além de encontrar caminhos para apoiar os negócios de impacto social positivo que foram escolhidos para mentoria no programa, como marketplaces para venda dos produtos dos acelerados e ferramentas para captação de recursos para alavancar e garantir a continuidade dos negócios (como leilões e crowdfundings). Uma ferramenta única e necessária, que possibilita a gestão integrada e o acompanhamento de ações de impacto positivo e responsabilidade social, especialmente neste momento em que ESG e desenvolvimento econômico sustentável ganham a atenção do mercado.

"O programa Comunidades a 1000 já chega trazendo resultados positivos, porque contribui para a aproximação de diversos setores da sociedade e torna as cidades mais integradas e mais unidas, o que impacta diretamente na forma como performam os negócios locais. Além disso, em meio à pandemia, doações e auxílios financeiros das empresas foram essenciais para remediar situações emergenciais, mas é preciso buscar alternativas para assegurar o desenvolvimento econômico territorial de longo prazo, em que as pessoas tenham a oportunidade de adquirir sua própria receita, e que as empresas consigam desenvolver novos mercados. E esta é a essência do Programa de Aceleração", afirma Daniel Cavaretti, jurado do programa e Co Fundador do G10 Favelas.

A segunda temporada já está em gravação e promete apoiar ainda mais empreendedores e escalar negócios. Confira mais informações em @comunidadesa1000 e @crisarcangeli e no www.comunidadesa1000.com.br

Conheça cada um dos negócios da primeira temporada comunidades a 1000 – Paraisópolis

Costurando Sonhos Brasil

O desejo de fazer o bem e possibilitar autonomia financeira a diversas mulheres da segunda maior comunidade de São Paulo foi o principal pilar para a criação e sustentação do “Costurando Sonhos Brasil”, iniciativa que capacitou e ajuda milhares de mulheres em Paraisópolis. Esse negócio incrível criado por Neli Feio e Maria Nilde escala no B2B e agora também no B2C.

Mãos de Maria

Criado por Elizandra Cerqueira, ex-presidente da Associação das Mulheres de Paraisópolis,  e Juliana da Costa Gomes,  o Bistrô Mãos de Maria é um negócio de impacto social que  funciona na laje da União dos Moradores e do Comércio de Paraisópolis, em um espaço gourmet com plantio de hortaliças, ervas e temperos. O Bistrô traz um conceito totalmente sustentável e especialmente na pandemia, reforçou seu caráter de apoio à comunidade, e com o apoio de doações de empresas privadas e pessoas físicas e começaram a produzir e distribuir marmitas para moradores em situação de vulnerabilidade social. 

Emprega Comunidades

Nada mais incrível que um negócio que pluga candidatos a empresas de forma a capacitar e gerar emprego e renda. Esse é o Emprega Comunidades, um negócio de impacto social que surgiu com o intuito de empregar os candidatos moradores das favelas do Brasil no mercado de trabalho, além de oferecer qualificação profissional. Conhecido como LinkedIn da Favela, a iniciativa tem papel fundamental para ajudar empresas que assumiram o compromisso em promover ações e projetos que contribuam com as ODS – Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS 11 – Cidades e Comunidades Sustentáveis).

AgroFavela Refazenda

A Agrofavela Refazenda é uma iniciativa de combate à fome, por meio da implantação de horta comunitária, visando a melhoria da condição nutricional e a boa alimentação das famílias das comunidades.  Atualmente, existem dois projetos recém inaugurados. No Pavilhão Social G10 Favelas, localizado em Paraisópolis -SP, são mantidas duas versões diferentes de hortas: Uma Vertical (chamada de Fazenda Vertical), que possui 20m2 com uma produção de 960 pés de hortaliças por ciclo; e uma Horizontal, distribuída em canteiros, caixas e vasos, produzindo frutas, legumes e verduras. O projeto da horta comunitária também contempla workshops de capacitação com ensino de técnicas de cultivo, redução e reutilização de resíduos orgânicos aplicados como fertilizantes na horta.

Salão Águia Hair

 O empreendimento de Maria das Graças (Eliane Cerqueira, como é conhecida) é a cara do Brasil e vimos de perto o quanto os salões foram afetados com a pandemia.