Salário de homem e mulher só será igual no Brasil no ano de 2116

Desigualdade salarial entre gêneros no Brasil é uma dos maiores do mundo. Nesse ritmo, a injustiça só acabará daqui a um século, diz Fórum Econômico Mundial

São Paulo — Um relatório divulgado hoje pelo Fórum Econômico Mundial revelou que a desigualdade salarial entre homens e mulheres no Brasil — uma das mais drásticas do planeta — só será eliminada daqui a 100 anos, caso o atual ritmo de transformações seja mantido.

De um total de 144 países, o Brasil ocupa a 129ª posição no ranking de igualdade de remuneração entre os gêneros. Até Irã e Arábia Saudita, famosos por atropelarem direitos femininos, ficaram mais bem posicionados. As nações nórdicas ocupam o topo do ranking, com a Islândia em 1º lugar.

A diferença salarial entre gêneros no Brasil supera 50% — uma estatística compartilhada com apenas outros cinco países. Enquanto a remuneração média da brasileira é de 11,6 mil dólares por ano, a dos homens corresponde a 20 mil dólares anuais.

Segundo o Fórum Econômico Mundial, a implementação de políticas pragmáticas ajudariam a reverter rapidamente esse quadro, mas as iniciativas para reduzir a disparidade entre os gêneros têm avançado num ritmo lento. Se continuarem assim, seus efeitos só serão conhecidos no Brasil no ano de 2116, diz a entidade.

A desigualdade econômica entre homens e mulheres é mais grave no Brasil do que em países como o Cambodja: ocupamos o 91º lugar nesse quesito no ranking global.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.