Acompanhe:
seloCarreira

Quais são as melhores empresas para trabalho de jovem aprendiz, segundo estudo do CIEE

Levantamento ouviu mais de 48 mil jovens e adolescentes de todo o Brasil e faz parte do Prêmio Melhores Empresas para o Jovem Aprendiz

Modo escuro

Continua após a publicidade
Aprendizes sentem-se acolhidos pelas empresas, segundo pesquisa inédita (Divulgação:  PeopleImages/Getty Images)

Aprendizes sentem-se acolhidos pelas empresas, segundo pesquisa inédita (Divulgação: PeopleImages/Getty Images)

Os aprendizes avaliaram de maneira positiva como são acolhidos quando contratados. Em uma escala de zero a 10, os jovens e adolescentes classificaram como 8,62 os esforços das organizações para que eles se sintam parte da equipe — maior nota dos quesitos avaliados.

Esse é um dos dados da pesquisa que ouviu mais de 48 mil jovens e adolescentes de todo o Brasil e faz parte do Prêmio “Melhores Empresas para o Jovem Aprendiz”, que foi coordenado pelo Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE), ONG de empregabilidade, em parceria com o Ministério do Trabalho e Emprego e a consultoria global Great Place to Work. A análise das respostas foi encomendada à consultoria de pesquisa Toledo & Associados.

Qual é o perfil do jovem aprendiz?

No Brasil,  59% é feminino e 40% é masculino. A idade média é de 18 anos, sendo que maioria (42%) tem entre 19 e 21 anos.

Quais foram os aspectos avaliados?

Entre os cinco aspectos avaliados pelos aprendizes, estão:

  • Acolhimento: o jovem aprendiz sente-se acolhido nas empresas em que trabalham. Em uma escala de zero a 10 pontos, obtém-se a média de 8,62,
  • Satisfação pessoal obteve a segunda melhor classificação e recebeu nota 8,57. Segundo 75% dos respondentes, eles seriam muito felizes se fossem efetivados na empresa para a qual trabalham atualmente,
  • Integração surge como o terceiro quesito mais bem avaliado e recebeu nota 8,36,
  • Diversidade e inclusão (8,19),
  • Desenvolvimento interno (8,08).

“O levantamento nos mostrou que quando a aprendizagem é realizada de maneira estruturada e séria, rende bons frutos para todos. Para os jovens, para as empresas e para o desenvolvimento do País”, afirma Rodrigo Dib, superintendente Institucional do CIEE.

O que precisa melhorar?

O levantamento também mostrou os aspectos com menor avaliação, os quais estão ligados ao espaço para sugestões e acompanhamento no desenvolvimento da carreira.

  • Apenas 59% dos aprendizes afirmam que o gestor dedica tempo para ouvir e apoiar, este aspecto recebeu nota 8,03.
  • Enquanto menos da metade, apenas 47%, afirmam ter voz ativa nas reuniões de equipe.

Outro ponto de melhoria é o acesso à capacitação ao longo da aprendizagem. Apenas 58% dos respondentes afirmaram ter acesso a treinamentos para o desenvolvimento pessoal.

Quando foi criado o trabalho de aprendiz?

A Lei da Aprendizagem foi criada no dia 19/12/2000. A cota é a única política pública que combate a evasão escolar e o trabalho infantil ao exigir apenas estudantes regularmente matriculados em instituições de ensino e possibilitando a entrada regulamentada de menores de idade ao mundo do trabalho.

São elegíveis para o programa estudantes entre 14 e 24 anos incompletos em situação de vulnerabilidade. Aliado ao trabalho, os jovens recebem capacitação semanal, onde aprendem soft e life skills. Atualmente a legislação relacionada à aprendizagem no Brasil estabelece cotas de contratação de aprendizes para estabelecimentos de médio e grande porte.

A cota compulsória é de no mínimo 5% e no máximo 15% da força de trabalho de referência, que inclui todos os empregados cujas funções exijam formação profissionalizante – excluindo cargos de direção, gerência, ensino técnico ou superior. Desde 2019 o projeto de lei do “Estatuto da Aprendizagem” busca revisitar o programa e modernizá-lo.

As melhores empresas para trabalho de jovem aprendiz, segundo estudo do CIEE

Empresas entre 7 e 100 colaboradores:

  • Unileão - Centro Universitário (CE)
  • Depósito de Aparas Nossa Senhora da Penha (BA)
  • Grupo Fametro (AM)
  • OOG - TKP Produção de Petróleo (RJ)
  • Frysk Industrial (BA)

Empresas entre 101 e 500 colaboradores:

  • Arco Íris Roseira (SP)
  • Formato Transportes (SP)
  • VinilSul (GO)
  • Cetril (SP)
  • Condomínio Shopping Conquista Sul (BA)

Empresas entre 501 ou mais colaboradores:

  • Telefônica Brasil (SP)
  • Aurora Alimentos (SC)
  • Itaú Unibanco (SP)
  • Magazine Luiza (SP)
  • Raízen (SP)
  • Caixa Econômica Federal (DF)
  • Magalu Log (SP)
  • Mateus Supermercado (MA)
  • Grupo Norsa Refrigerantes (CE)
  • RaiaDrogasil (SP)

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Inovação com disciplina: a fórmula ‘ambidestra’ por trás do crescimento do iFood
Exame IN

Inovação com disciplina: a fórmula ‘ambidestra’ por trás do crescimento do iFood

Há 2 dias

Em Harvard, Lemann fala sobre seu ‘não sucesso’ na Americanas
Exame IN

Em Harvard, Lemann fala sobre seu ‘não sucesso’ na Americanas

Há 3 dias

Receita estende até 12 de abril prazo para empresas aderirem ao piloto do 'Confia'
seloMinhas Finanças

Receita estende até 12 de abril prazo para empresas aderirem ao piloto do 'Confia'

Há 3 dias

Estão abertas as inscrições para o Programa Petrobras Jovem Aprendiz; veja os requisitos
seloCarreira

Estão abertas as inscrições para o Programa Petrobras Jovem Aprendiz; veja os requisitos

Há 3 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais