Professor de português corrige texto de Neymar no Instagram. Ficou melhor?

Um atleta profissional precisa respeitar a norma gramatical e ter um padrão na escrita? Professor Diogo Arrais não tem dúvida disso

O Futebol mudou. Mudou muito, como praticamente tudo no mundo. Estamos em 2018, tempo em que as mídias sociais alteraram o dia a dia de qualquer personalidade ali inserida.

Durante a Copa do Mundo, vários episódios trouxeram à tona uma reflexão: como a palavra pode construir ou destruir a imagem de um atleta, principalmente em tempos de péssima compreensão textual. É um verdadeiro paradoxo: o acesso democrático à informação, destituído da sensata compreensão do texto.

Como exemplo da importância do vocábulo escrito, vejamos um trecho do atleta Neymar, publicado em seu Instagram:

"Nem todos sabem o que passei pra chegar até aqui, falar até papagaio fala, agora fazer ... poucos fazem!! O choro é de alegria, de superação, de garra e vontade de vencer. Na minha vida as coisas nunca foram fáceis, não seria agora né !!! O sonho continua, sonho não ... OBJETIVO ! Parabéns pela partida rapaziada, vocês são F..."

Por ser um texto subjetivo, logo após uma dura batalha, a emoção é ainda mais acentuada. A pontuação fica em segundo plano, e a nítida vontade de desabafo engole sílabas. Quando assim for, um recurso textual coerente está na revisão. Rever, reler, apresentar a um possível assessor, para - enfim - publicar.

No parágrafo escrito por Neymar, também podemos perceber vários traços da oralidade (como as infindáveis reticências do "internetês" - vício terrível de muitas celebridades): "pra" não tem registro no Padrão de nossa Língua; "né"; a expressão da moda "F****" e as exclamações repetidas.

O fato é: um atleta profissional precisa respeitar a norma gramatical e ter um padrão na escrita? Não tenho dúvida disso: concordância, bom uso dos pronomes relativos, pontuação adequada e boa seleção da palavra (xingamentos não são nada elegantes) servem para evitar a compreensão dúbia, a falta da clareza, garantindo a organização do pensamento escrito e falado.

Há ainda um outro ponto: quanto mais é exposto um profissional, mais cuidado devem ele e sua equipe ter. Fama exige sim a constante atenção com a frase grafada, com a postura diante do microfone, pois infelizmente a fábrica da crítica segue (e seguirá a todo o vapor), pelo enorme poder de influência e exposição de uma pessoa assim.

Com um pouco mais de dedicação gramatical, o parágrafo ganha outro tom, organização, não agressividade e liderança:

"Como foi difícil chegar até aqui. Esse meu choro, de hoje, tem muita alegria, superação, garra e vontade de vencer. Ajudem-me com a crítica sincera; pretendo ser sempre melhor! Precisamos da união! Farei questão de ler cada comentário de vocês.
Na vida do brasileiro, nada é fácil. O sonho continua; sonho não: objetivo! Meus parabéns pela partida, rapaziada!"

Torço por Neymar. É um gênio da Bola, mas realmente precisa cuidar da palavra que lança. Não apenas Neymar, todos nós.
Um abraço, até a próxima e inscreva-se no meu canal!

Diogo Arrais
http://www.ARRAISCURSOS.com.br
YouTube: MesmaLíngua
Autor Gramatical pela Editora Saraiva
Professor de Língua Portuguesa

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.