Carreira

Os salários na empresa mais feliz do Brasil (que está recrutando)

ThoughtWorks Brasil ficou em 1º lugar no ranking de satisfação profissional. Confira por que a equipe parece tão satisfeita, os salários e as vagas por lá

ThoughtWorks Brasil: satisfação profissional é alta (ThoughtWorks Brasil/Divulgação)

ThoughtWorks Brasil: satisfação profissional é alta (ThoughtWorks Brasil/Divulgação)

Camila Pati

Camila Pati

Publicado em 16 de janeiro de 2018 às 05h00.

Última atualização em 20 de janeiro de 2020 às 12h07.

São Paulo – “Procuramos criar um ambiente justo, diverso, de baixa hierarquia, com espaço de fala, de aprendizado, de convivência, de trocas e de construção coletiva”, diz Marta Saft, diretora jurídica e de recrutamento, da ThoughtWorks Brasil.

A empresa ficou em primeiro lugar do ranking de satisfação profissional, divulgado com exclusividade ontem pelo Site Exame e esses são alguns dos aspectos que podem explicar por que o engajamento é alto ThoughtWorks Brasil: a empresa recebeu mais de 60 avaliações de funcionários e ex-funcionários nos últimos 12 meses e a esmagadora maioria é positiva. Apenas três usuários da plataforma disseram no último ano que não recomendariam a empresa como empregadora a um amigo.

“É bastante difícil apontar para uma só direção quando estamos falando do que faz a ThoughtWorks ser o que ela é. Com certeza deve-se a um conjunto de fatores, que satisfazem a diversidade das nossas pessoas com pesos diferentes”, diz Marta que atribui grande parte da alta satisfação da equipe ao ambiente desafiador, colaborativo e de muito respeito. A ThoughtWorks tem um jeito peculiar de organização que vai além da baixa hierarquia. A visão de negócio e a cultura empresarial, por exemplo, são baseadas em três pilares: sustentabilidade, referência tecnológica e justiça social e econômica.

Por exemplo, parte da atribuição da diretoria de justiça social e econômica é cuidar de projetos e aspectos ligados diversidade.

O cargo atualmente é ocupado por Renata Gusmão e faz parte da sua missão estar próxima dos grupos de diversidade internos: grupos de mulheres que discutem justiça de gênero, grupos de pessoas negras que discutem assuntos relacionados à negritude, grupos de pessoas com deficiência e grupos LGBT. São esses grupos que mobilizam discussões e ações como as que acontecem durante a semana da pessoa com deficiência e a semana da consciência negra.

“Temos um trabalho educacional interno para proporcionar um ambiente seguro para a diversidade que queremos dentro da ThoughtWorks”. A empresa já fez parcerias com institutos como o ID_BR e o Afroeducação em ações patrocinadas pelo pilar de justiça social e econômica, diz Marta.

ThoughtWorks: empresa é a líder do ranking de satisfação profissional (foto/Divulgação)

Empresa está recrutando

O recrutamento é pautado pela diversidade, já que anualmente é feito um censo e seus resultados vão nortear a estratégia de contratação. “Além dos números, temos que entender como essas pessoas estão se desenvolvendo internamente e que tipo de suporte lhes é necessário”, diz Marta.

Há, neste momento, oportunidades profissionais no Brasil anunciadas no site global de carreiras da empresa para analista de qualidade júnior, consultor de infraestrutura, desenvolvedor/consultor e desenvolvedor mobile.

Segundo a diretora de recrutamento, as vagas com maior demanda, normalmente, na empresa são mesmo para a área de desenvolvimento de software. “Mas também temos vagas da área de tecnologia como Analistas de Negócios (BA), Gerentes de Projetos (PM), Experiência do Usuário (UX) e outras.

“Esperamos que os candidatos tenham muita paixão por tecnologia e uma mentalidade ágil, construtiva, colaborativa e aberta para se desenvolver quanto a temas de justiça social e econômica, além dos conhecimentos técnicos”, diz Marta, sobre o perfil de quem tem tudo para se dar bem na empresa.

De acordo com ela, é menos a experiência prévia e mais o conjunto de conhecimentos e competências individuais o aspecto mais valorizado durante o processo de recrutamento. “Buscamos, ainda, pessoas que trabalhem bem com autonomia, gostem de se desafiar, se envolver em vários projetos e ter uma rotina diferente a cada dia”, diz Marta.

A cultura de compartilhamento de conteúdo é também muito forte na empresa. “Temos mais de 70 livros técnicos publicados por funcionários e um radar semestral de tendências tecnológicas”, diz. Também é estimulada a formação de grupos de discussão, durante o horário de trabalho, sobre temas como justiça social e econômica e liderança feminina.

Entre os benefícios oferecidos aos funcionários estão aulas de inglês e espanhol, assim como atendimento psicológico, jurídico, licença maternidade/paternidade estendida e um programa de desconto em academias.

Agora, veja os salários oferecidos para 10 cargos, segundo informações não oficiais publicadas por usuários da plataforma Love Mondays. Em casos em que há um só salário, o valor é arredondado para garantir o anonimato.

CargosSalárioBase de cálculo
Desenvolvedor5.278 reais19 salários informados
Consultor sênior8.836 reais15 salários informados
Consultant7.676 reais12 salários informados
Consultor de desenvolvimento5.232 reais11 salários informados
Desenvolvedor Júnior3.517 reais5 salários informados
Gerente de projetos (GP)10.897 reais4 salários informados
Analista de Negócios8.400 reais4 salários informados
UX designer sênior9.200 reais1 salário informado
Gerente8.700 reais1 salário informado
Analista de Infraestrutura sênior6.100 reais1 salário informado
Acompanhe tudo sobre:Avaliação de empresasSaláriosThoughtWorks

Mais de Carreira

Com vagas limitadas, aula gratuita ensina como se capacitar para trabalhar com ESG em qualquer área

TikTok vira "conselheiro de carreira" para jovens nos EUA

USP e Yale University criam fundo de 50 mil dólares para apoiar pesquisadores; saiba mais

Qual é o salário de um diretor de tecnologia? Descubra remuneração e habilidades demandadas

Mais na Exame