Carreira

OMS relaciona a Síndrome de burnout como fenômeno ligado ao trabalho

O problema foi descrito como "uma síndrome resultante de um estresse crônico no trabalho que não foi administrado com êxito"

Estresse: a definição do 'burnout' "foi modificada à luz de pesquisas atuais" (Pixabay/Reprodução)

Estresse: a definição do 'burnout' "foi modificada à luz de pesquisas atuais" (Pixabay/Reprodução)

A

AFP

Publicado em 28 de maio de 2019 às 10h45.

Última atualização em 28 de maio de 2019 às 11h51.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera que o 'burnout' é um "fenômeno ligado ao trabalho" e não uma doença, declarou nesta terça-feira um porta-voz, ao apresentar novas explicações sobre o que foi anunciado na véspera pela agência especializada da ONU.

Na segunda-feira, a OMS indicou que o 'burnout', um conceito comumente traduzido como "esgotamento profissional", havia sido incluído na nova Classificação Internacional de Doenças.

A lista é baseada nas conclusões de especialistas de todo o mundo e é utilizada para estabelecer tendências e estatísticas de saúde.

Mas nesta terça-feira um porta-voz se pronunciou para fazer uma correção e explicou que o 'burnout' já estava na classificação precedente, no capítulo "Fatores que influenciam a saúde".

"A inclusão neste capítulo significa precisamente que o 'burnout' não é conceitualizado como uma condição médica, mas como um fenômeno ligado ao trabalho", escreveu o porta-voz em nota enviada à imprensa.

Ele precisou que apenas a definição do 'burnout' "foi modificada à luz de pesquisas atuais".

O problema foi descrito como "uma síndrome resultante de um estresse crônico no trabalho que não foi administrado com êxito" e que se caracteriza por três elementos: "sensação de esgotamento, cinismo ou sentimentos negativos relacionados a seu trabalho e eficácia profissional reduzida".

O registro da OMS explica que o esgotamento "se refere especificamente a fenômenos relativos ao contexto profissional e não deve ser utilizado para descrever experiências em outros âmbitos da vida".

A nova classificação, chamada CIP-11, publicada ano passado, foi aprovada durante a 72ª Assembleia Mundial da OMS e entrará em vigor no dia 1 de janeiro de 2022.

A Classificação de Doenças da OMS estabelece uma linguagem comum que facilita o intercâmbio de informações entre os profissionais da área da saúde ao redor do planeta.

Acompanhe tudo sobre:EstresseOMS (Organização Mundial da Saúde)Saúde

Mais de Carreira

Gerdau abre 120 novas vagas para programa de estágio; veja os requisitos

Quanto ganha um fisioterapeuta? Veja carreira e salário médio

Samsung adota regime de 6 dias de trabalho por semana na Coreia do Sul. A medida chegará ao Brasil?

Com ofertas especiais, Faculdade EXAME abre vagas para MBA em Inteligência Artificial para Negócios

Mais na Exame