Acompanhe:
seloCarreira

Agro: setor que mais cresce no país busca profissionais de todas as áreas para contratação imediata

Com a maior participação no PIB brasileiro em 17 anos, o agronegócio oferece 5 vagas para cada profissional qualificado na área. A boa notícia é que não é preciso ir para o campo o ser agrônomo para se candidatar; confira

Modo escuro

Continua após a publicidade
 (KDP/Getty Images)

(KDP/Getty Images)

D
Da Redação

Publicado em 26 de agosto de 2022 às, 11h00.

A agricultura surgiu há cerca de 12 mil anos, no período neolítico. Na época, a prática de plantar e colher não somente foi responsável por garantir segurança alimentar, mas também por criar e manter as primeiras sociedades organizadas. Hoje, 12 mil anos depois, o agro (agricultura e pecuária) representa quase 30% do PIB brasileiro - a maior participação em 17 anos - e emprega mais de 9 milhões de brasileiros. 

Quando pensamos em agronegócio, a primeira imagem que vem à mente são pessoas colocando suas botas, indo pro campo e trabalhando extensivamente das lavouras debaixo de sol. Mas a verdade é que isso já deixou de ser realidade há muito tempo. Não é à toa que, nos últimos 40 anos, o Brasil saiu da condição de importador de alimentos para se tornar um importante exportador do mundo.

E apesar do trabalho duro no campo, esse avanço do setor só é possível graças a uma velha conhecida da cidade. 

Num momento em que o mundo convive com guerra, quebras logísticas, inflação em alta e reiteradas mostras dos efeitos do aquecimento global, o desempenho do agronegócio brasileiro se deve ao avanço da tecnologia, que fornece soluções para manter a produtividade, utilizar as terras com eficiência e se manter sustentável, ao mesmo tempo em que alimenta uma população global crescente.

Descubra como receber em média R$ 12 mil por mês trabalhando em projetos agrícolas sem sair da cidade

Empresas como a Adroit Robots, que oferece uma solução para o produtor que precisa contar milhões de frutas ao final da colheita, e a Krilltech, que desenvolveu nanopartículas que impulsionam a oxigenação do solo e reduzem a necessidade de fertilizantes, são exemplos de empreendimentos que levaram a tecnologia ao campo e estão participando de uma verdadeira revolução no agronegócio.

A tecnologia como aliada na prosperidade do campo

Do preparo do solo, até a distribuição dos produtos, o agronegócio sofre com os percalços da própria natureza. Secas, geadas, queimadas e pragas podem comprometer meses de trabalho e milhões de reais ao final de uma temporada de plantio.

Nesse contexto, a tecnologia no campo é um dos principais fatores de sucesso de um produtor rural. Afinal, tanto as máquinas, quanto os computadores e os sistemas automatizados permitem que o produtor não precise ficar a mercê de achismos na hora de controlar pragas, prever a colheita e monitorar o clima.

É justamente por isso que, hoje, as melhores oportunidades de trabalho no agronegócio estão na implementação de projetos digitais, uma atividade que você pode exercer de dentro de um escritório, e sem precisar sair do centro urbano.

Agronegócio busca profissionais para ajudar a tornar o setor mais produtivo; veja requisitos e saiba como se especializar

Há oportunidade, mas faltam profissionais

A revolução tecnológica no agronegócio brasileiro abriu as portas para que profissionais que nunca pisaram no campo pudessem construir uma carreira de sucesso no setor. Ocupações que eram inexistentes há pouco tempo, hoje são as que mantêm o agro produtivo e competitivo.

Profissionais de TI, engenheiros, economistas, estatísticos, gerentes de operação e analistas de dados são apenas algumas das profissões que já migraram para o campo. E a tendência é mundial. Bilionários, como Bill Gates, estão se tornando donos de centenas de milhares de hectares de terra em todo o mundo e apostando na tecnologia para torná-las produtivas.

O investimento nas agritechs - as startups que levam inovação e tecnologia ao campo -, por exemplo, atingiu os US$40 milhões apenas no primeiro trimestre de 2022.

Segundo estudo inédito da Agência Alemã de Cooperação Internacional, a estimativa é de que, em dois anos, existam 32,5 mil profissionais qualificados para 178,8 mil oportunidades em profissões emergentes, dentro de um total de 18,3 milhões no setor. Em uma década, esses números devem alcançar a marca de 162,3 mil profissionais para 360 mil vagas.

Ou seja, hoje, existem cerca de 5 vagas em aberto para cada profissional qualificado no mercado. E mesmo em 10 anos, essa proporção deve ser de cerca de 2 vagas para cada profissional.

Aula gratuita: inscreva-se e aprenda a construir uma carreira no agronegócio sem precisar se mudar para o campo

Nunca antes o agronegócio necessitou de tantos profissionais, mas a oferta de pessoas capacitadas não consegue acompanhar esta necessidade.

Como se tornar um especialista em tecnologias para o campo?

Com dinheiro na mão e muitos problemas para resolver, o campo tem buscado um profissional específico para ajudá-lo a implementar tecnologias. Com salários médios de R$12 mil por mês e 5 vagas por profissional disponível, o Agro Digital Manager é a profissão mais em alta quando o assunto é unir o campo à tecnologia.

Responsável por estruturar, implementar e monitorar projetos digitais em propriedade agrícolas, o Agro Digital Manager não precisa ter diploma em agronomia ou medicina veterinária para exercer sua profissão - muito menos precisa morar no campo. 

Masterclass Carreira em Digital Agribusiness

Com o objetivo de ajudar a formar mais profissionais para suprir a demanda do setor, a EXAME preparou a masterclass gratuita Carreira em Digital Agribusiness. Para participar basta se inscrever clicando aqui. Programada para acontecer dia 5/9 às 19h30, a masterclass vai revelar:

  • Como a revolução tecnológica do agronegócio brasileiro está fazendo surgir inúmeras possibilidades de fazer carreira em profissões que eram inexistentes até pouco tempo atrás;
  • Como planejar uma carreira de sucesso no Digital Agro e ter remuneração que pode passar dos R$ 12 mil por mês;
  • Como aproveitar as oportunidades no setor mesmo sem ter um formação em veterinária, agronomia ou outras áreas relacionadas; 
  • Qual a melhor forma para fazer a transição de carreira e começar a faturar com o agronegócio brasileiro sem precisar se mudar para o campo. 

A aula será ministrada por Francisco Jardim, sócio-fundador da SP Ventures, uma das gestoras de Venture Capital mais tradicionais do país especializada no agronegócio. Desde 2007, a gestora investe em startups de tecnologia para o agronegócio, as chamadas agritechs.

QUERO PARTICIPAR DA MASTERCLASS GRATUITA E APROVEITAR AS OPORTUNIDADES NO SETOR QUE MAIS CRESCE DA ECONOMIA BRASILEIRA

Últimas Notícias

Ver mais
Quer trabalhar de qualquer lugar do mundo? Veja as vagas home office disponíveis nesta semana
seloCarreira

Veja as vagas home office disponíveis nesta semana

Há 8 horas

Concurso Caixa: após 10 anos, haverá vagas para ampla concorrência; veja como se preparar
seloCarreira

Concurso Caixa: após 10 anos, haverá vagas para ampla concorrência; veja como se preparar

Há um dia

Geração Z: os líderes que não virão - e agora?
seloCarreira

Geração Z: os líderes que não virão - e agora?

Há 2 dias

Muitas vagas, poucos talentos: especialista revela qual o profissional mais disputado do mercado
seloCarreira

Muitas vagas, poucos talentos: especialista revela qual o profissional mais disputado do mercado

Há 2 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais