• AALR3 R$ 20,04 -0.15
  • AAPL34 R$ 69,82 2.05
  • ABCB4 R$ 16,73 0.42
  • ABEV3 R$ 14,28 0.49
  • AERI3 R$ 3,76 -0.53
  • AESB3 R$ 10,91 -0.09
  • AGRO3 R$ 31,79 1.11
  • ALPA4 R$ 22,41 1.08
  • ALSO3 R$ 19,59 3.93
  • ALUP11 R$ 26,23 -1.02
  • AMAR3 R$ 2,59 0.00
  • AMBP3 R$ 32,24 -0.34
  • AMER3 R$ 21,83 1.53
  • AMZO34 R$ 3,44 1.78
  • ANIM3 R$ 5,55 0.00
  • ARZZ3 R$ 82,35 1.33
  • ASAI3 R$ 15,98 -0.68
  • AZUL4 R$ 21,08 0.62
  • B3SA3 R$ 12,74 2.66
  • BBAS3 R$ 37,12 -0.91
  • AALR3 R$ 20,04 -0.15
  • AAPL34 R$ 69,82 2.05
  • ABCB4 R$ 16,73 0.42
  • ABEV3 R$ 14,28 0.49
  • AERI3 R$ 3,76 -0.53
  • AESB3 R$ 10,91 -0.09
  • AGRO3 R$ 31,79 1.11
  • ALPA4 R$ 22,41 1.08
  • ALSO3 R$ 19,59 3.93
  • ALUP11 R$ 26,23 -1.02
  • AMAR3 R$ 2,59 0.00
  • AMBP3 R$ 32,24 -0.34
  • AMER3 R$ 21,83 1.53
  • AMZO34 R$ 3,44 1.78
  • ANIM3 R$ 5,55 0.00
  • ARZZ3 R$ 82,35 1.33
  • ASAI3 R$ 15,98 -0.68
  • AZUL4 R$ 21,08 0.62
  • B3SA3 R$ 12,74 2.66
  • BBAS3 R$ 37,12 -0.91
Abra sua conta no BTG

Fica, vai ter bolo! Como empresas de TI estão fazendo para manter talentos

Pesquisa revela que mais de 70% dos profissionais da área querem mudar de emprego
Área de TI experimenta uma inversão, onde os profissionais qualificados podem “escolher” seus trabalhos (Getty Images/Hinterhaus Productions)
Área de TI experimenta uma inversão, onde os profissionais qualificados podem “escolher” seus trabalhos (Getty Images/Hinterhaus Productions)
Por BússolaPublicado em 11/05/2022 19:45 | Última atualização em 11/05/2022 13:47Tempo de Leitura: 5 min de leitura

Parece até uma realidade alternativa. E, de fato, é mesmo. Enquanto o Brasil registra a taxa de 11,1% de desemprego, a área de TI experimenta uma inversão, onde os profissionais qualificados podem “escolher” seus trabalhos, e os empregadores traçam estratégias para mantê-los em suas empresas.

Essa realidade só é possível em razão de uma conta que não fecha: existe uma demanda crescente por profissionais de tecnologia e pouca mão de obra qualificada.

Um estudo recente publicado pela Brasscom indica que cerca de 53 mil pessoas são formadas por ano em cursos de perfil tecnológico e há uma demanda média anual de 159 mil profissionais de Tecnologia da Informação e Comunicação, o que traz um grande desafio para o Brasil.

O relatório estima que as empresas de tecnologia demandarão 797 mil talentos de 2021 a 2025. No entanto, com o número de formandos aquém da procura, a projeção é de um déficit anual de 106 mil profissionais — 530 mil em cinco anos.

“O resultado deste desencontro é a valorização dos profissionais que estão sendo cada vez mais disputados pelas grandes corporações que precisam de seus serviços para continuarem expandindo seus negócios”, relata Alan Batista, CEO da Rebase.

Cultura e ações para a manutenção de talentos

Mais valorizados do que nunca, os profissionais de TI que possuem uma boa qualificação estão na posição de poder escolher onde e como trabalhar. É o que revela a pesquisa da Gartner realizada em 2021 que constata que no cenário global, apenas 29,1% dos trabalhadores da área têm intenção de permanecer em seus empregos atuais; já na América Latina os números são ainda mais expressivos registrando uma taxa de 26,9% de profissionais que não pretendem continuar onde estão.

Atentas a isso, as lideranças têm se reinventado para não se desfalcarem nessa dança das cadeiras. É o caso da Rebase, empresa de desenvolvimento de softwares que percebeu que desenvolver uma cultura de empresa mais inclusiva pode estimular mais seus talentos a ficarem.

“Temos uma formação forte para quem inicia conosco, intensiva nos primeiros 45 dias e imersiva a partir disso. Tratamos todas as pessoas da mesma forma, sem distinções de júnior, pleno e sênior, isso permite que a pessoa recém chegada possa trabalhar em tarefas de qualquer complexidade e com o suporte de todo o time, tornando o nosso ambiente um lugar seguro para se trabalhar”, explica Batista.

Já a Guiando, empresa especialista em desenvolvimento de tecnologias inteligentes para Telecom e gestão automatizada de faturas, criou um programa de gamificação para bonificar seu time. Assim nasceu o “For You”, uma espécie de rede social interna que premia e reconhece as melhores iniciativas de seus funcionários.

No “For You” qualquer colaborador da equipe pode reconhecer outro colaborador através de um post, onde todos podem interagir para gerar engajamento.

Segundo o CMO da Guiando, Eduardo Camargo, os gestores, por sua vez, tomam conhecimento dessas iniciativas e podem premiar com pontos que são trocados por itens e experiências no marketplace da plataforma. “Cada ação conta nessa dinâmica que tem por objetivo promover a troca e estimular o time, até mesmo os anos de casa são convertidos em pontos que se multiplicam a cada novo ciclo que o funcionário permanece na empresa. Percebemos um aumento significativo na nossa cultura, retenção de talentos e comunicação interna desde que passamos a reconhecer publicamente as boas iniciativas de nosso time”, explica.

Manifesto Tech

Por conta das adversidades do setor, lideranças de tecnologia se uniram para iniciar um movimento a fim de encontrar formas de lidar com a forte expansão da área e o déficit de profissionais capacitados.

Assim surgiu o “Manifesto para o mercado de tecnologia brasileiro”, um documento assinado por 23 líderes do segmento, que destaca a importância da contratação de profissionais em desenvolvimento, e não apenas de quem já possui experiência. O objetivo desta iniciativa é promover mais inclusão e um crescimento saudável para pessoas, empresas e mercado.

“Essa é uma corrida por talentos que a gente não está conseguindo vencer. As próprias organizações não tem se preocupado em formar profissionais de início de carreira, privilegiando somente pessoas com mais experiência de mercado. Também é preciso mais incentivo de políticas públicas que auxiliem a entrada no mercado.”, explica Victor Cavalcante, representante e CSO da Lambda3, organização que também assina o Manifesto Tech.  Em um das ações que precederam o Manifesto, o programa “Devs do Futuro” da Lambda3, desenvolve um ambiente de aprendizado e experimentação que tem criado oportunidades para pessoas que desejam trabalhar com desenvolvimento de software. O objetivo é democratizar o acesso e oferecer oportunidades a profissionais em transição ou início de carreira. A empresa espera formar 40 profissionais esse ano, que atuarão em seus times de produtos digitais.

“É de suma importância para a Lambda3 fazer parte deste Manifesto e constatar que iniciativas que já tomávamos de forma genuína ao longo de nossa trajetória estão sendo abraçadas por outras corporações que entendem a importância de se criar ações para promover mudanças que facilitem o acesso de profissionais em desenvolvimento a empresas”, conclui Cavalcante.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também

Cloudwalk e Alpha Lumen abrem capacitação para jovens em tecnologia

Startup investe em inclusão para jovens de baixa renda e profissionais 45+

Esta IDtech precisa de apenas 1 segundo para evitar fraudes bancárias