Senado no Mato Grosso do Sul 2022: Tereza Cristina é eleita com 60% dos votos válidos

Ex-ministra da Agricultura venceu o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta
Tereza Cristina: ex-ministra do governo Bolsonaro é eleita senadora pelo Mato Grosso do Sul (Andre Coelho/Bloomberg/Getty Images)
Tereza Cristina: ex-ministra do governo Bolsonaro é eleita senadora pelo Mato Grosso do Sul (Andre Coelho/Bloomberg/Getty Images)
D
Da Redação

Publicado em 02/10/2022 às 20:16.

Última atualização em 02/10/2022 às 20:22.

A candidata do PP, Tereza Cristina, foi eleita senadora da República pelo estado de Mato Grosso do Sul nas eleições 2022. De acordo com dados de apuração do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), com 99,20% das urnas apuradas, Tereza obteve 60,95% dos votos válidos (824.320 votos). Em segundo lugar ficou o ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que recebeu 15,13% (204.615 votos).

Quem é Tereza Cristina?

Natural de Campo Grande, a engenheira Tereza Cristina foi ex-ministra da Agricultura e Pecuária do governo de Jair Bolsonaro. Durante o período de pré-campanha, Tereza foi cotada para ser vice de Bolsonaro e era apoiada por nomes do Centrão como forma de ampliar a aderência de Bolsonaro junto ao eleitorado feminino, segmento em que o atual presidente enfrenta rejeição. Tereza venceu o ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que se tornou desafeto político de Bolsonaro após deixar o cargo durante a pandemia de covid-19.

VEJA O RESULTADO DA VOTAÇÃO PARA GOVERNO DE MATO GROSSO DO SUL

Os candidatos ao Senado pelo MS, em ordem alfabética, são:

  • Anizio Tocchio (PSOL)
  • Jeferson Bezerra (Agir)
  • Juiz Odilon (PSD)
  • Mandetta (União Brasil)
  • Professor Tiago Botelho (PT)
  • Tereza Cristina (PP)

Quantos senadores cada estado tem?

Conhecida como "a casa dos estados", cada unidade federativa tem três representantes, de forma igualitária, no Senado. O mandato de senador da República é de oito anos. Por conta disso, há eleições em que cada estado elege dois senadores, e em outras apenas um. Em 2022, havia uma vaga em disputa.

Não foi votar? Como justificar ausência do voto

Quem não pode justificar a ausência no dia do primeiro turno da eleição, tem o prazo de até 60 dias após cada turno para regularizar a situação eleitoral sem o pagamento da multa. Os canais para realizar o procedimento online são o e-Título e o Sistema Justifica. Nesse caso, além de preencher o requerimento, é necessário anexar documentos que comprovem o motivo alegado, pois a justificativa não é automática e poderá ser ou não concedida pelo juiz eleitoral.

Quem é obrigado a votar e justificar a ausência

O voto é obrigatório para eleitoras e eleitores alfabetizadas, com idades entre 18 e 70 anos. O voto é facultativo para maiores de 16 anos e menores de 18 anos; maiores de 70 anos; e, analfabetos.

Quando é o segundo turno?

Nas eleições de 2022, apenas para os cargos de presidente e governador há o segundo turno. Ele ocorre quando nenhum dos candidatos atinge 50% mais um dos votos válidos. Neste ano, a segunda etapa de votação é no dia 30 de outubro. Diferentemente de outros anos, para esta eleição, o fuso horário para a votação é um só em todo o país, o de Brasília, das 8h às 17h.

Quem não votou no primeiro turno, pode votar no segundo?

O eleitor que não votou no primeiro turno das eleições de 2022 pode e deve votar no segundo turno. Segundo o TSE, cada turno é tratado como uma eleição independente pela Justiça Eleitoral. Isso significa que uma pessoa que não votou no primeiro turno não é proibida de ir às urnas no segundo, desde que seu título eleitoral esteja regular.

LEIA TAMBÉM