• AALR3 R$ 19,70 -0.25
  • AAPL34 R$ 73,76 0.27
  • ABCB4 R$ 17,02 3.28
  • ABEV3 R$ 14,74 0.34
  • AERI3 R$ 3,94 -10.05
  • AESB3 R$ 10,82 0.84
  • AGRO3 R$ 31,64 0.09
  • ALPA4 R$ 21,47 -1.01
  • ALSO3 R$ 20,22 1.76
  • ALUP11 R$ 26,38 0.73
  • AMAR3 R$ 2,48 4.20
  • AMBP3 R$ 30,37 2.50
  • AMER3 R$ 23,07 -2.49
  • AMZO34 R$ 72,52 1.38
  • ANIM3 R$ 5,71 2.88
  • ARZZ3 R$ 82,44 -0.40
  • ASAI3 R$ 15,89 3.38
  • AZUL4 R$ 22,11 4.00
  • B3SA3 R$ 11,92 2.32
  • BBAS3 R$ 36,41 2.80
  • AALR3 R$ 19,70 -0.25
  • AAPL34 R$ 73,76 0.27
  • ABCB4 R$ 17,02 3.28
  • ABEV3 R$ 14,74 0.34
  • AERI3 R$ 3,94 -10.05
  • AESB3 R$ 10,82 0.84
  • AGRO3 R$ 31,64 0.09
  • ALPA4 R$ 21,47 -1.01
  • ALSO3 R$ 20,22 1.76
  • ALUP11 R$ 26,38 0.73
  • AMAR3 R$ 2,48 4.20
  • AMBP3 R$ 30,37 2.50
  • AMER3 R$ 23,07 -2.49
  • AMZO34 R$ 72,52 1.38
  • ANIM3 R$ 5,71 2.88
  • ARZZ3 R$ 82,44 -0.40
  • ASAI3 R$ 15,89 3.38
  • AZUL4 R$ 22,11 4.00
  • B3SA3 R$ 11,92 2.32
  • BBAS3 R$ 36,41 2.80
Abra sua conta no BTG

Polícia Federal prende chefe de gabinete do governador do Acre

Prisão preventiva foi determinada pelo STJ
 (Reuters/Pilar Olivares)
(Reuters/Pilar Olivares)
Por Agência O GloboPublicado em 22/12/2021 10:53 | Última atualização em 22/12/2021 11:04Tempo de Leitura: 3 min de leitura

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta quarta-feira a segunda fase da Operação Ptolomeu que investiga corrupção e lavagem de dinheiro por membros do governo do Acre. Durante a nova etapa da investigação, a PF prendeu o chefe de gabinete do governador do estado, Gladson Cameli (Progressistas), por suspeita crime de obstrução de investigação.

A primeira fase da operação foi anunciada na última quinta-feira. Desde então, a polícia identificou uma cumplicidade entre servidores públicos para prejudicar a operação da PF. Segundo a polícia, foram identificados diversos atos direcionados a obstrução da investigação, “na tentativa de destruição de provas essenciais para a continuidade das apurações”.

Diante disso, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) decretou a prisão preventiva da chefe de gabinete do governador do estado e a imediata instauração de novo inquérito policial para a apuração do crime de obstrução de investigação de organização criminosa.

Além disso, os policiais cumprem nesta quarta-feira cinco mandados de busca e apreensão em endereços relacionados aos envolvidos no embaraço às investigações, em Rio Branco.

Primeira Fase

A primeira fase da Operação Ptolomeu aconteceu com o apoio da Controladoria-Geral da União (CGU). Segundo nota da PF, a investigação tramita no âmbito do Superior Tribunal de Justiça (STJ) “identificou um grupo criminoso, controlado por empresários e agentes políticos ligados ao Poder Executivo estadual acreano, que atuavam no desvio de recursos públicos, bem como na realização de atos de ocultação da origem e destino dos valores subtraídos”.

Essa etapa da investigação contou com 150 policiais federais e 10 auditores da CGU. Além disso, foram cumpridos 41 mandados de busca e apreensão e um mandado de prisão nas cidades de Rio Branco (AC), Cruzeiro do Sul (AC), Manaus (AM) e Brasília (DF).

“O Superior Tribunal de Justiça decretou inúmeras medidas cautelares diversas da prisão, dentre as quais: o afastamento da função pública, a proibição de acesso a órgãos públicos e o impedimento de contato entre os investigados. Somando-se a isso, o STJ determinou o bloqueio de aproximadamente R$ 7 milhões nas contas dos investigados, além do sequestro de veículos de luxo adquiridos com o proveito dos crimes”, informou nota da PF.

A CGU também apurou que as empresas envolvidas possuem um grande volume de contratos com o poder público. “O valor total empenhado para sete empresas foi de 142 milhões de reais durante o período analisado, sendo 17 milhões oriundos de convênios federais e repasses do SUS e do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação). Ademais, foi possível constatar que os valores movimentados pelos envolvidos ultrapassam R$ 800 milhões, montante totalmente incompatível com o patrimônio e a atividade empresarial dos investigados”, apresentou nota da polícia.