No Congresso, Jucá reitera que não agiu contra Lava Jato

Jucá deixou o cargo de ministro até que o MP se manifeste sobre uma conversa em que ele teria sugerido um pacto para tentar paralisar a Lava Jato


	Romero Jucá: "Não fiz nenhuma ação para impedir a investigação da Lava Jato", disse Jucá
 (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Romero Jucá: "Não fiz nenhuma ação para impedir a investigação da Lava Jato", disse Jucá (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
DR

Da Redação

Publicado em 24 de maio de 2016 às 12h40.

Um dia após ter deixado o comando do Ministério do Planejamento, o senador Romero Jucá (PMDB-RR) reiterou nesta terça-feira, em pronunciamento durante sessão do Congresso Nacional, que não interferiu nas investigações da operação Lava Jato e prometeu debater o assunto com qualquer um no plenário do Senado na quarta-feira.

"Não fiz nenhuma ação para impedir a investigação da Lava Jato", disse Jucá, em resposta a críticas feitas logo antes pela senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) sobre a suposta intenção do parlamentar de enfraquecer as investigações sobre o esquema de corrupção.

Jucá deixou o cargo de ministro do Planejamento na segunda-feira até que o Ministério Público se manifeste sobre uma conversa divulgada pelo jornal Folha de S.Paulo em que ele teria sugerido um pacto para tentar paralisar a Lava Jato, na primeira grande crise em menos de duas semanas de governo do presidente interino Michel Temer. 

Trechos de conversa gravada entre Jucá e o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, ambos investigados pela Lava Jato, apontam que o senador teria sugerido que uma troca no governo federal resultaria em pacto para frear os avanços da Lava Jato, segundo a Folha.

A conversa foi gravada em março, semanas antes da votação na Câmara dos Deputados que aprovou o andamento do processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff.

De volta ao Congresso nesta terça-feira como senador para uma sessão conjunta convocada para votar a nova meta fiscal do governo e vetos presidenciais, Jucá disse que o assunto foi tratado de forma "irresponsável" pela mídia e por seus adversários, e que irá abordar amanhã o assunto em discurso no plenário do Senado.

"Tratarei amanhã no discurso do plenário do Senado e estarei a disposição para debater com todos. Fundamentalistas, petistas, arrivistas, qualquer um que queira levantar qualquer tipo de questionamento", afirmou.

Mais de Brasil

Pasta da Saúde fecha acordo com Moderna para compra de 12,5 milhões de vacinas contra covid

Vamos ampliar pagamento do Pé-de-Meia para todos os estudantes inscritos no CadÚnico, afirma Lula

Lewandowski defende alterar Constituição para aumentar poder da União na segurança pública

Lula vai falar com Lira e Pacheco e governo pode ceder parte do veto em emendas, diz Randolfe

Mais na Exame