Brasil

Natal amanhece sem ônibus após receber último jogo na Copa

Uma das sedes da Copa do Mundo, a cidade amanheceu sem transporte público por causa de uma greve dos motoristas de ônibus


	Arena das Dunas: ontem, a cidade recebeu sua última partida na Copa, entre Itália e Uruguai
 (Wkimedia Commons)

Arena das Dunas: ontem, a cidade recebeu sua última partida na Copa, entre Itália e Uruguai (Wkimedia Commons)

DR

Da Redação

Publicado em 25 de junho de 2014 às 14h10.

Rio de Janeiro - Natal, uma das sedes da Copa do Mundo, amanheceu nesta quarta-feira sem transporte público por causa de uma greve dos motoristas de ônibus, no dia seguinte de a cidade receber sua última partida na competição, entre Itália e Uruguai.

O sindicato dos motoristas de ônibus aprovou a paralisação de toda a frota por tempo indeterminado a partir da madrugada desta quarta-feira em protesto pelo reajuste salarial recebido inferior ao que a categoria pedia, e que foi determinado pelo Tribunal Regional do Trabalho em uma audiência de conciliação.

A decisão deixou nas garagens 100% dos 620 ônibus da frota da cidade e 530 mil que utilizam diariamente o serviço em Natal sem transporte.

Os motoristas protagonizaram uma greve durante o Mundial mas, por decisão judicial, foram obrigados a manter 70% da frota em operação enquanto aguardavam a mediação do TRT sobre as reivindicações.

O tribunal determinou na terça-feira um reajuste de 7,32 %, muito abaixo dos 16% pedidos pelo sindicato, e um pequeno aumento no auxílio alimentação.

Apesar da decisão judicial ter sido maior que a oferta feita pelos proprietários das concessões, o reajuste desagradou os motoristas.

"Nenhum veículo sai das garagens", ordenou o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Terrestres do Rio Grande do Norte (Sintro), Nastagnan Batista.

"Não se trata de uma greve. A greve terminou ontem (pela decisão judicial). Trata-se de um protesto contra uma decisão que não aceitamos", defendeu o líder sindical.

O sindicato das empresas de transporte urbano de Natal manifestou sua insatisfação com a decisão judicial, já que os proprietários aceitavam reajustar os salários, mas não o ticket alimentação.

A paralisação começou um dia depois da vitória que classificou o Uruguai para as oitavas de final. A seleção sulamericana venceu a Itália por 1 a 0 na Arena das Dunas.

O estádio de Natal, inaugurado em janeiro, foi sede de quatro partidas da primeira fase, que atraíram 170 mil turistas.

Acompanhe tudo sobre:cidades-brasileirasCopa do MundoEsportesFutebolNatal (RN)Transporte público

Mais de Brasil

Enel confirma a Lula investimento de R$ 20 bi para acabar com apagões

Enchentes paralisaram 63% das indústrias gaúchas, revela pesquisa

Prejuízos com chuvas no RS superam R$ 12 bilhões; setor habitacional é o mais afetado

Presidente do Solidariedade, alvo de operação da PF, se entrega em Brasília

Mais na Exame