Brasil
Acompanhe:

MDB indica Renan Calheiros e Jader Barbalho para conselho político de transição de Lula

Em reunião na terça-feira, presidentes do PT e do MDB, Gleisi Hoffmann e Baleia Rossi, acertaram o embarque emedebista na transição

O MDB indicou também o ex-governador do Rio Grande do Sul Germano Rigotto para atuar na área de Indústria (Danilo Martins Yoshioka/Anadolu Agency/Getty Images)

O MDB indicou também o ex-governador do Rio Grande do Sul Germano Rigotto para atuar na área de Indústria (Danilo Martins Yoshioka/Anadolu Agency/Getty Images)

A
Agência O Globo

9 de novembro de 2022, 15h52

O MDB anunciou nesta quarta-feira a indicação dos senadores Renan Calheiros (AL) e Jader Barbalho (PA) para o conselho político do gabinete de transição para o governo do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

O partido indicou ainda o secretário-executivo nacional da legenda, Reinaldo Takarabe, para a área de assistência social da transição, para a qual havia sido anunciada na véspera a senadora Simone Tebet (MS), candidata do partido a presidente na eleição de outubro.

O MDB indicou também o ex-governador do Rio Grande do Sul Germano Rigotto para atuar na área de Indústria, Comércio e Serviços do gabinete de transição, segundo a nota assinada pelo presidente nacional da legenda, deputado federal Baleia Rossi (SP).

Na véspera, Baleia se reuniu com a presidente nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), e recebeu dela o convite formal para que o partido integrasse a transição para o governo Lula, que assumirá um terceiro mandato no Palácio do Planalto em 1º de janeiro de 2023.

Nesta quarta, Baleia disse que o MDB ainda poderá indicar, nos próximos dias, nomes técnicos para colaborar no time da transição. O partido afirma que o foco hoje é a garantia dos R$ 600 para o Bolsa Família e o aumento real do salário mínimo.

“Da mesma forma, vamos fazer a defesa da reforma tributária, do pacto federativo e da atualização da tabela do SUS”, disse ele, numa rede social.

LEIA TAMBÉM:

Kassab confirma que PSD deve integrar base de Lula e defende reeleição de Lira

'Vai ser PEC', diz líder do PT sobre como Lula buscará margem no orçamento para Bolsa Família