Marginal Pinheiros: Prefeitura abre licitação para prolongar via por mais 8 km

O prolongamento da Marginal do Pinheiros, na zona sul paulistana pode finalmente sair do papel
Prolongamento da Marginal do Pinheiros: Estima-se que mais de 1,3 milhão de pessoas se beneficiem com o projeto (Leandro Fonseca/Exame)
Prolongamento da Marginal do Pinheiros: Estima-se que mais de 1,3 milhão de pessoas se beneficiem com o projeto (Leandro Fonseca/Exame)
E
Estadão ConteúdoPublicado em 10/09/2022 às 12:52.

O prolongamento da Marginal do Pinheiros, na zona sul paulistana pode finalmente sair do papel. A Prefeitura publicou em edição do Diário Oficial da Cidade edital para contratação de projetos executivos para "esticar" a via por 8 quilômetros. O novo trecho previsto para ser construído às margens dos Rios Pinheiros e Jurubatuba, vai da Avenida Guido Caloi, na altura da Ponte João Dias, até a Ponte Vitorino Goulart, em Interlagos. A previsão da gestão municipal é de que as propostas sejam abertas no dia 3 de outubro e, após contratados, os projetos sejam finalizados em até sete meses.

A Prefeitura planeja investir cerca de R$ 8 milhões nos estudos de prolongamento da via. Estima-se que mais de 1,3 milhão de pessoas se beneficiem com o projeto. Ainda não há, porém, previsão para início das obras ou de quanto deve ser gasto na execução. "O tempo gasto pelos motoristas entre a Ponte Transamérica e a Avenida Guido Caloi, até a região de Interlagos diminuirá expressivamente. O trajeto que é feito por dentro dos bairros de Jurubatuba, Santo Amaro, Jardim São Luís e Socorro passará a ser feito pela nova via", disse em nota oficial.

Além do prolongamento da Marginal do Pinheiros, ao longo do novo sistema viário também deve ser implementado um parque linear. O espaço, informou a gestão municipal, contará com nova vegetação, passeios públicos, áreas de descanso e contemplação. Uma ciclovia deverá ser implementada em todos os 8 quilômetros de extensão do parque.

A Prefeitura disse que o contrato a ser firmado deve contemplar ainda o desenvolvimento do projeto de uma nova ponte, ao lado da Ponte Transamérica. A construção permitirá o acesso dos carros da Avenida Guido Caloi à Marginal do Pinheiros, no sentido da Rodovia Castello Branco.

Trânsito intenso

A Marginal do Pinheiros é hoje a segunda via expressa mais importante da cidade, ligando a região de Interlagos à Rodovia Castello Branco. A via também possibilita o acesso às Rodovias dos Imigrantes e Anchieta, por meio da Avenida dos Bandeirantes.

Professor de Arquitetura e Urbanismo da FAAP, Ricardo Nascimento vê a iniciativa com bons olhos. "A população da região há muitos e muitos anos reivindica a ligação", disse. Atualmente, ao chegar à altura da Ponte Transamérica, os motoristas têm de se deslocar de uma margem para a outra do Rio Pinheiros. Com poucas alternativas para deslocamento, as vias da região costumam ter trânsito intenso.

Projetos de prolongamento da Marginal do Pinheiros, diante disso já foram ventilados em gestões anteriores, mas a necessidade de fazer a intervenção, explica o professor, ficou ainda maior nos últimos anos. "A região explodiu em termos imobiliários, com uma população residencial, faculdades, cooperativas", disse, citando o avanço da região de Santo Amaro e a proximidade com polos econômicos, como a Faria Lima.

"Esse prolongamento é muito benéfico, principalmente porque também vai se enganchar com várias obras do governo do Estado, que estão requalificando um outro trecho, que vai até a Ponte do Jaguaré (no Butantã)", completou Nascimento. "A iniciativa privada, ao mesmo tempo, tem enorme interesse em realizar investimentos na região, porque, além de beneficiar pessoas, trazem lucro."

A percepção é parecida com a do arquiteto e consultor de mobilidade Flamínio Fichmann. "O aproveitamento dessa área é bastante interessante, porque é um espaço vazio e, se a gente olhar o tráfego, do outro lado do rio a gente vê sinais de congestionamento", afirmou. "Então, o prolongamento vem para contribuir principalmente com o transporte individual, fazendo uma ligação da Marginal até a região de Interlagos, com o autódromo e tudo, que é bastante carente nesse sentido."

Mas Fichmann aproveita para fazer um adendo. "Seria muito interessante se pudesse destinar parte do investimento na calha viária para o transporte público, seja um BRT ou aeromóvel", disse. Segundo ele, por mais que se tenha a Linha 9-Esmeralda passando pela região atualmente, há uma sobrecarga em horários de pico e as alternativas de ônibus são limitadas na região.

Diante disso, continuou, a possibilidade de se fazer uma reserva desse investimento no coletivo poderia levar a cidade "ganhar ainda mais". "Pode favorecer até mesmo quem usa o transporte ferroviário (CPTM), já que você dilui o movimento nos vagões e oferece mais alternativas", afirmou. "Com a dinamização da linha sul, que vai no eixo pelas Marginais até a região de Osasco e Carapicuíba, houve uma adesão muito grande da população. Essa linha foi uma das que maior sucesso teve com os investimentos."

Propostas de outras gestões

A proposta de "esticar" a Marginal do Pinheiros não é novidade: em 2018, uma iniciativa integrou um projeto urbanístico proposto pela gestão João Doria (PSDB). Antes, chegou a ser anunciada em 2012 pelo ex-prefeito Gilberto Kassab (PSD) - a estimativa da Prefeitura na época era que o projeto custaria R$ 470 milhões. Nenhum dos planos, porém, saiu do papel.

Como ponto de partida, a Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras (Siurb) informou que vai contratar revisão, atualização e complementação de um projeto básico elaborado pela pasta há 20 anos, na gestão da ex-prefeita Marta Suplicy (PT), além de providenciar o desenvolvimento do projeto executivo. Após a aprovação das propostas, as obras serão licitadas pela Prefeitura, mas ainda não há prazo para isso ser feito.