Brasil

Helder Barbalho teve extraordinária produtividade no ministério, diz Temer

Ministro da Integração Nacional vai deixar o cargo por conta do prazo de desincompatibilização para participar das eleições

Michel Temer: presidente também aproveitou para cumprimentar o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, que deixará o cargo até o dia 7 (Adriano Machado/Reuters)

Michel Temer: presidente também aproveitou para cumprimentar o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, que deixará o cargo até o dia 7 (Adriano Machado/Reuters)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 4 de abril de 2018 às 18h59.

Última atualização em 11 de junho de 2020 às 12h48.

Brasília - Para marcar a despedida do ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, que vai deixar o cargo por conta do prazo de desincompatibilização para participar das eleições, o presidente Michel Temer decidiu fazer a abertura de uma reunião dos conselhos da Sudam, Sudene e Sudeco no Palácio do Planalto.

Logo no início de seu discurso, Temer disse que Helder "teve extraordinária produtividade" no ministério. "Quero dizer que, ao mesmo tempo que naturalmente lamento sua saída daqui a dois dias, também o cumprimento pelas novas missões que certa e seguramente vai desempenhar, sempre com sucesso", afirmou.

Temer aproveitou a reunião ainda para cumprimentar o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, que também deixará o cargo até o dia 7. "A mesma tristeza cívica de um lado e alegria cívica de outro tenho em relação ao Fernando Coelho Filho", destacou.

Segundo Temer, Coelho Filho fez "de maneira surpreendente um trabalho igualmente excepcional". "Quando nomeei o Fernando, a primeira sensação que tive é que tratava-se de um jovem muito jovem. Que na época, acho que não passava dos 32 anos", completou.

O presidente declarou ainda que o ministro interino da Indústria, Comércio e Serviços (MDIC), Marcos Jorge, deve permanecer à frente da pasta. "Esse vai continuar conosco. Marcos Jorge de alguma maneira vai continuar conosco colaborando muitíssimo com o nosso governo", afirmou.

Como tem feito em todos os seus discursos, o presidente disse que na economia seu governo fez muito e citou juros e inflação baixos. "Mas muito foi feito também em outras áreas", salientou.

Ao destacar ações do governo no Nordeste, Temer lembrou de obras paralisadas que foram retomadas pelo ministro Helder e disse: "Talvez eu tenha a satisfação de inaugurar em definitivo o fenômeno da transposição do São Francisco".

Helder em seu discurso, que antecedeu o presidente, agradeceu pelo "privilégio e oportunidade" de fazer parte do governo.

Acompanhe tudo sobre:Eleições 2018Helder BarbalhoMichel TemerMinistério da Integração Nacional

Mais de Brasil

Incidentes cibernéticos em sistemas do governo dobram no primeiro semestre de 2024

Luciano Hang é condenado à prisão pela Justiça do RS por ataques a arquiteto

Com atraso, abrangência menor e sem Lula, governo lança programa Voa Brasil para aposentados de INSS

Mais na Exame