Brasil

Governo quer reduzir no mínimo 18% de acidentes no carnaval

A campanha, com o slogan “Não seja vítima do álcool. Seu carnaval não precisa acabar assim”, irá até o dia 9 de março


	Trânsito em estrada: campanha de 2014 faz parte da Operação Rodovida, iniciada em dezembro do ano passado
 (Yasuyoshi Chiba/AFP)

Trânsito em estrada: campanha de 2014 faz parte da Operação Rodovida, iniciada em dezembro do ano passado (Yasuyoshi Chiba/AFP)

DR

Da Redação

Publicado em 25 de fevereiro de 2014 às 20h32.

Começa hoje (25) a divulgação da campanha de prevenção de acidentes de trânsito no carnaval. O ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, explicou que a meta é reduzir, pelo menos 18%, o número de acidentes, em relação a igual período do ano passado, quando foram registradas 157 ocorrências.

“Tivemos reduções sucessivas nos últimos carnavais. Em 2013, chegamos a reduzir 18% [o número de acidentes] em relação a 2012. Então, nosso piso neste ano é redução de 18%, em relação a 2013”.

A campanha, com o slogan “Não seja vítima do álcool. Seu carnaval não precisa acabar assim”, irá até o dia 9 de março, feita em parceria entre os ministérios das Cidades e dos Transportes, ao custo de R$ 15 milhões.

O filme, divulgado na televisão, mostra cenas de um suposto acidente de trânsito, com presença constante de sangue, vítimas desacordadas e um cadáver sendo coberto por um plástico preto.

Ribeiro entende que o uso de cenas fortes é o caminho adequado para chamar a atenção da sociedade sobre os impactos de uma imprudência no trânsito.

“Esse vídeo vai chamar à reflexão seus filhos e netos, para que a gente possa refletir sobre a importância da vida. Perder a vida no trânsito é um segundo, basta uma distração”.

A campanha de 2014 faz parte da Operação Rodovida, iniciada em dezembro do ano passado, que intensifica a fiscalização de trechos com maior índice de acidentes no Brasil.

Na mesma operação, o Ministério das Cidades já tinha utilizado vídeos de impacto, com pessoas comuns presenciando o socorro de vítimas em acidentes reais.

Das quatro vítimas socorridas nos acidentes retratados, três morreram. Esses vídeos, bem como o utilizado na campanha do carnaval estão disponíveis na internet.

“A gente está falando dos efeitos do álcool, em função do feriado do carnaval, mas pessoas perdem a vida por passar uma mensagem no celular, por exemplo. E aquele segundo trágico termina trazendo uma mudança na vida de uma família”, ressaltou o ministro.

Além da campanha publicitária, ações de fiscalização serão intensificadas pela Polícia Rodoviária Federal e órgãos de trânsito nas cidades, com blitze relativas à Lei Seca, uso de bafômetro e verificação de documentação.

Acompanhe tudo sobre:acidentes-de-transitoCarnavalGovernomobilidade-urbanaTrânsito

Mais de Brasil

Lula se reúne com aliados políticos para discutir reação a projeto sobre aborto na Câmara

PL do Aborto gera manifestações em ao menos oito cidades

Rio quer atrair investimentos da Arábia Saudita e criar hub para Data Centers - inclusive submarinos

Microexplosão atinge município gaúcho de São Luiz Gonzaga

Mais na Exame