Acompanhe:

Governo chinês está empenhado em enviar insumos para vacina, diz Maia

Após encontro com o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, o presidente da Câmara disse que não há nenhum obstáculo político para o envio

Modo escuro

Continua após a publicidade
Presidente da Câmara dos Deputados, dep. Rodrigo Maia, concede entrevista coletiva (Najara Araújo/Agência Câmara)

Presidente da Câmara dos Deputados, dep. Rodrigo Maia, concede entrevista coletiva (Najara Araújo/Agência Câmara)

A
Alessandra Azevedo, de Brasília

Publicado em 20 de janeiro de 2021 às, 13h14.

Após encontro com o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, nesta quarta-feira, 20, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que as expectativas são positivas para a importação de insumos para produção de vacinas contra a covid-19 em território nacional. A reunião, segundo o deputado, foi "muito positiva", embora eles não tenham tratado de datas ou prazos.

"O embaixador deixou claro que não há nenhum obstáculo político. A tramitação técnica que atrasou um pouco, mas estão trabalhando junto com o governo, de forma clara, na exportação de insumos ao Brasil", disse Maia, em entrevista coletiva. "Não falei de prazos, mas tive a informação de que há um empenho neste momento do governo chinês, da embaixada chinesa, para que os insumos possam chegar o mais rápido possível no Brasil", continuou.

Na conversa com o embaixador, Maia disse ter falado "em nome dos brasileiros que não estão no conflito ideológico" travado pelo governo. "A impressão que da é de falta de dialogo do governo brasileiro com a embaixada. Incrível como a questão ideológica para alguns prevalece em relação à intenção de salvar vidas", disse. Ainda assim, o embaixador teria deixado claro que o governo chinês "vai trabalhar para a aceleração da chegada desses insumos no Brasil", reforçou Maia.

"Este momento é de não olhar pra conflitos políticos", disse o presidente da Câmara. Ele ressaltou que o Instituto Butantan tem feito as tratativas diretamente com o governo chinês, com o governador de São Paulo, João Doria. "O trabalho que já está sendo feito de diálogo pelo governo de São Paulo e a importância que tem, para a China, a relação bilateral com o Brasil vão fazer com que consiga avançar o mais rápido possível também para insumos da vacina da Fiocruz", acredita Maia.

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) anunciou nesta terça-feira, 19, que a entrega da vacina de Oxford vai atrasar de fevereiro para março, por conta de atraso na chegada do insumo farmacêutico ativo vindo da China. O mesmo produto é usado na fabricação da Coronavac, que será produzida pelo Butantan.

Últimas Notícias

Ver mais
Projeto quer dobrar período de internação de adolescentes infratores
Brasil

Projeto quer dobrar período de internação de adolescentes infratores

Há 3 horas

PF indicia Carla Zambelli e hacker da Lava Jato por invasão ao sistema do CNJ
Brasil

PF indicia Carla Zambelli e hacker da Lava Jato por invasão ao sistema do CNJ

Há 3 dias

PL da reoneração da folha enviado pelo governo entra no sistema da Câmara
Brasil

PL da reoneração da folha enviado pelo governo entra no sistema da Câmara

Há 5 dias

Câmara aprova tarifa social com novos descontos em água e esgoto para baixa renda
Brasil

Câmara aprova tarifa social com novos descontos em água e esgoto para baixa renda

Há 5 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais