Confira o que reabre no Rio na 2ª fase de flexibilização que começa hoje

O cronograma da prefeitura do Rio se baseia em estatísticas sobre a taxa de ocupação de leitos de UTI e de enfermaria, além da taxa de mortalidade

A segunda fase da flexibilização da quarentena durante a pandemia da Covid-19 começa nesta quarta-feira, dia 17, na cidade do Rio de Janeiro. Como resultado disso, serviços e outras atividades voltam a funcionar, seguindo o planejamento da prefeitura, que prevê seis fases com intervalos de 15 dias entre elas.

O cronograma do governo municipal se baseia em estatísticas sobre a taxa de ocupação de leitos de UTI e de enfermaria, além da taxa de mortalidade.

Saiba quais serviços voltam às atividades nesta quarta-feira:

  • Lojas de móveis e decorações
  • Concessionárias e agências de automóveis
  • Shoppings, das 12h às 20h
    (com limitação de 1/3 do estacionamento)
  • Alimentação
    (só para delivery, drive thru e take away)
  • Ambulantes
  • Escritórios em geral
  • Hotéis e hostels
  • Calçadão da orla, praças e parques para atividades físicas
  • Praia para esportes aquáticos individuais
  • Voo livres individuais
  • Consultórios e clínicas médicas e odontológicas (com agendamento prévio)
  • Venda de ingressos online ou em caixas de autoatendimento para drive in
  • Atividades de construção e reforma de casas e prédios e construção naval
  • Centro de treinamento esportivos abertos para treino, sem público
  • Competições esportivas com portões fechados
  • A reabertura dos shoppings, inicialmente prevista para esta fase, foi antecipada pelo prefeito Marcelo Crivella para o dia 11 de junho, véspera dos Dia dos Namorados.

Confira as regras a serem cumpridas para evitar contágio do coronavírus:

  • Uso de máscaras em locais públicos
  • Constante higienização das mãos com água e sabão, ou álcool gel;
  • Álcool gel também deve estar disponível nas áreas de circulação;
  • Deverá ser respeitada uma distância mínima de dois metros (com marcações no chão);
  • Ambientes arejados com portas e janelas abertas; se houver climatização do ar deve ter manutenção constante;
  • Equipes de limpeza e funcionários deverão trabalhar com equipamentos de proteção individual
  • Higienização dos espaços deve ser feita a cada três horas; limpeza imediata após o uso; e faxina completa ao fim do dia;
  • Reforçar a etiqueta respiratória (como tossir e espirrar usando braços como proteção);
  • Pessoas com sintomas devem ser encaminhadas à assistência médica.

Volta do futebol e do Mercadão de Madureira

A prefeitura antecipou a abertura do Mercadão de Madureira já na terça-feira, como uma espécie de teste piloto para outros pontos de venda do gênero, como galerias comerciais. A exemplo dos shoppings, essas áreas devem ter sinalização indicativa, controle de temperatura nos acessos e os funcionários e frequentadores devem circular com máscaras.

Nesta quarta-feira, a secretária Ana Beatriz Busch terá uma reunião no Palácio da Cidade, em Botafogo, para discutir a retomada das partidas de futebol. Bangu e Flamengo já anteciparam que não teriam problemas para se enfrentar já nesta quinta-feira, possivelmente no Maracanã. Mas o desfecho depende do que será definido no encontro.

Possibilidade de antecipação da terceira fase

O prefeito Marcelo Crivella afirmou nesta terça-feira, dia 16, que não descarta antecipar já para daqui a oito ou dez dias o início da fase 3 de reabertura (prevista para 1º de julho), caso os indicadores que servem de referência para a mudança das etapas continuem a cair. Ele criticou que boa parte do comércio da região do Saara, no Centro, já abriu as portas mesmo sob proibição. A prefeitura ressaltou que está fiscalizando o comércio, e quem insistir pode ser multado em até R$ 50 mil e ter o alvará cassado.

— Peço para que eles (comerciantes) aguardem. Há uma possibilidade de antecipar a fase 3. São sete parâmetros. Nós já cumprimos três. Pode ser que essas exigências sejam atendidas antes de 1º de julho. Peço um pouco de paciência para os lojistas — disse.

A fase 3, que contempla atividades consideradas pelo município como de médio risco, prevê a reabertura — com limitações de público — do comércio de rua, academias de ginástica e pontos turísticos.

Os indicadores que já foram atendidos para atender à fase 3 são:

  • o percentual de leitos disponíveis na rede privada para a Covid-19,
  • a taxa média de variação de óbitos no intervalo de uma semana e
  • a média de novas internações (leitos clínicos e de UTI) também dos últimos sete dias.

Os números indicam, inclusive, que a cidade já poderia entrar até na quinta fase, afirmou o prefeito. Estes dados, no entanto, variam diariamente. Ao mesmo tempo em que acena com a possibilidade antecipar a próxima fase, Crivella não se comprometeu a afirmar quais atividades seriam retomadas de imediato. Questionado, ele não descartou também a volta das academias:

— Há vários projetos da terceira fase. Inclusive academias. As pessoas querem voltar a fazer ginástica, porque se sentem deprimidas em casa. É algo que podemos antecipar também — disse.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.