Com covid-19, Osmar Terra é internado na PUC-RS para exames

Deputado anunciou há 10 dias o diagnóstico e informou que já estava se tratando com cloroquina e ivermectina, medicamentos sem eficácia comprovada

O deputado federal Osmar Terra (MDB-RS) foi internado, neste domingo, em um hospital de Porto Alegre, 10 dias após anunciar que testou positivo para a Covid-19. Em um boletim médico, o Hospital São Lucas da PUC-RS informou que o paciente estava estável.

Antes, em uma postagem nas redes sociais, Terra afirmou que a internação tem como objetivo "acelerar a volta ao trabalho o mais breve possível", após a realização de exames de avaliação da evolução do quadro clínico e sessões de fisioterapia.

Segundo a assessoria de imprensa do deputado, a internação foi feita como medida de precaução por ser do grupo de risco, já que o deputado tem 70 anos de idade. O Hospital São Lucas da PUC-RS informou que Terra seguirá em observação nos próximos dias e a expectativa é que ele receba alta na terça-feira.

Em boletim médico divulgado no começo da tarde desta segunda-feira, assinado pelo diretor-clínico Saulo Gomes Bornhorst, o hospital informa que Osmar Terra "encontra-se estável e sentido-se confortável, com bom padrão respiratório, respondendo às medidas adotadas até o momento".

O anúncio de que havia sido diagnosticado com a Covid-19 veio através de uma postagem no Twitter, no dia 13 de novembro. Na época, o deputado informou que estava bem e assintomático, e que já tinha iniciado o tratamento com hidroxicloroquina e ivermectina, dois medicamentos sem eficácia comprovada para agir contra a doença.

"Comunico aos que me seguem que testei positivo para COVID-19. Estou bem e sem sintomas. Já Iniciei tratamento precoce com hidroxicloroquina e ivermectina. Comecei o isolamento em casa e cumprirei minha agenda de forma remota nos próximos dias seguindo as instruções médicas", informou Terra.

Mesmo durante o período em que estava contaminado, Osmar Terra manteve o posicionamento negacionista nas redes sociais. Desde o comando de Henrique Mandetta no Ministério da Saúde, ele segue como um dos principais críticos às medidas de isolamento social para controlar a pandemia e se tornou um aliado do presidente Jair Bolsonaro na defesa dos medicamentos sem comprovação científica.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.