Brasil

Cade inocenta Visa Vale de acusação de venda casada

A ação foi movida pela Sodexo


	Visa Vale: o comportamento não foi considerado lesivo à livre concorrência do mercado
 (Eduardo Monteiro/EXAME.com)

Visa Vale: o comportamento não foi considerado lesivo à livre concorrência do mercado (Eduardo Monteiro/EXAME.com)

DR

Da Redação

Publicado em 6 de maio de 2015 às 14h41.

Brasília - O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) inocentou das acusações de infração à ordem econômica e de venda casada de cartões de alimentação a empresa Companhia Brasileira de Soluções e Serviços (CBSS), dona da marca Visa Vale.

A CBSS é uma joint venture entre o Banco do Brasil, o Bradesco, o Santander e Banco Nossa Caixa, que também eram alvos do processo de investigação arquivado por falta de provas da conduta alegada pela concorrente Sodexo.

A empresa e os bancos eram investigados por celebrar parcerias com vantagens exclusivas na oferta do Visa Vale para funcionários das instituições financeiras.

As vantagens também seriam usadas para atrair clientes para o cartão da subsidiária dos bancos, que vendem o Visa Vale. O comportamento não foi considerado lesivo à livre concorrência do mercado.

O caso chegou ao Cade após denúncia de prática de condutas anticompetitivas apresentada pela Sodexo, concorrente da Visa Vale no mercado de cartão-benefício.

"A Sodexo tem crescido mesmo após a entrada da Visa Vale no mercado", observou a relatora Ana Frazão. Ela orientou os demais conselheiros do tribunal pelo arquivamento do processo. A decisão foi unânime na Corte administrativa.

Acompanhe tudo sobre:CadeEmpresasEmpresas americanassetor-de-cartoesSodexoVisa

Mais de Brasil

Governo sanciona lei que prevê plano de combate à violência contra mulher

PL do aborto: Conselho Federal da OAB aprova parecer que avalia texto como inconstitucional

Em SP, operação da Polícia Civil despeja projeto social na Cracolândia

PF recupera gravuras raras roubadas há 16 anos da Biblioteca Mário de Andrade, em SP

Mais na Exame