Logo Exame.com
Privatização

Sabesp: Oferta será lançada amanhã; propostas para 2ª etapa saem dia 28

Roadshow da operação deve começar na segunda-feira, com previsão de conclusão da operação na segunda quinzena de julho

Sabesp: Contrariando expectativa de competição acirrada, fatia de referência atrai apenas um interessado ( Victor Moriyama/Bloomberg/Getty Images)
Sabesp: Contrariando expectativa de competição acirrada, fatia de referência atrai apenas um interessado ( Victor Moriyama/Bloomberg/Getty Images)
Natalia Viri

Natalia Viri

20 de junho de 2024 às 14:28

A oferta privatização da Sabesp será lançada oficialmente amanhã, conforme antecipado pelo INSIGHT. Segundo fontes próximas à operação, a companhia fará um chamado ‘soft launch’, anunciando que a transação está aberta.

Será o estopim para que o governo de São Paulo possa sair em road show, apresentando a oportunidade de investimento oficialmente a investidores. As primeiras reuniões devem começar já na segunda-feira.

O Conselho de Desestatização do Estado se reúne hoje à noite para fechar detalhes finais, como o preço mínimo na oferta e o valor mínimo de book que cada uma das propostas que passarão para a segunda fase devem atrair para se qualificar.

Os investidores estratégicos interessados na fatia de 15% que ficará amarrada em acordo de acionistas com o Estado terão entre os dias 24 e 28 de junho para apresentarem suas propostas.

As duas maiores ofertas serão apresentadas ao fim do dia 28 e, a partir de então, começa o processo de formação de bookbuilding, com coleta de intenções dos investidores de mercado.
Diferentemente de outros processos de ofertas subsequentes de ações, em que há a formação de preço em cima de um intervalo proposto pela empresa, na privatização da Sabesp, os investidores poderão apresentar suas ordens para cada um dos investidores estratégicos.

A proposta que terá tiver o volume de ofertas será sagrada vencedora. Está na mesa, no entanto, a possibilidade de que haja um teto de múltiplo de book pelo qual o proponente com o maior preço vença, independente do volume dos demais, como forma de maximizar valor para o Estado na operação.

Depois do dia 28, começará o roadshow dos dois investidores que passarem para a segunda fase. O processo deve se estender por três semanas, com precificação prevista para a segunda quinzena de julho.

Na oferta, a fatia do governo do Estado deve cair dos atuais 50,3% para 18%.

No cadastro na manifestação de interesse pela posição de acionista de referência, Equatorial e Aegea se apresentaram e são dadas como favoritas. Ambas vem trabalhando há meses junto a governo e investidores para entender melhor e se qualificar para o processo.

Um veículo ligado a Nelson Tanure também se cadastrou, mas no mercado, ele é dado como azarão. A aproximação aconteceu apenas na semana passada e, de acordo com pessoas próximas do processo, o empresário ainda não conhecia muito bem detalhes cruciais da estrutura da oferta.

Não está certo se ele conseguirá apresentar a carta fiança necessária para se habilitar e tampouco se há interesse efetivo por fazer a oferta, diante das “complexidades do processo”, segundo fontes próximas ao empresário.

Segundo fontes próximas ao processo, havia uma pressão de Aegea e Equatorial por extensão no prazo para apresentação de propostas, mas diante da entrada de Tanure, a preferência é por um processo mais célere, dentro do cronograma. Ambas já tem funding estruturado para a proposta.

A expectativa é que a oferta da Sabesp movimente ao menos R$ 15 bilhões, considerando valores de tela, sem prêmio.

Para quem decide. Por quem decide.

Saiba antes. Receba o Insight no seu email

Li e concordo com os Termos de Uso e Política de Privacidade

Natalia Viri

Natalia Viri

Editora do EXAME IN

Jornalista com mais de 15 anos de experiência na cobertura de negócios e finanças. Passou pelas redações de Valor, Veja e Brazil Journal e foi cofundadora do Reset, um portal dedicado a ESG e à nova economia.

Continua após a publicidade
Na corrida da IA, o Brasil pode entrar no mapa dos data centers

Na corrida da IA, o Brasil pode entrar no mapa dos data centers

Com céu limpo e altitude de cruzeiro, Latam ganha 'compra' do Itaú BBA

Com céu limpo e altitude de cruzeiro, Latam ganha 'compra' do Itaú BBA