Logo Exame.com
Exame Research

Citi vê Ultra barata e recomenda compra

Banco manteve preço-alvo inalterado, destacando que há melhorias contínuas na área de distribuição de combustíveis

Ipiranga: margens da rede de distribuição de combustíveis da Ultra devem melhorar com recente aumento nos preços (Ipiranga/Divulgação)
Ipiranga: margens da rede de distribuição de combustíveis da Ultra devem melhorar com recente aumento nos preços (Ipiranga/Divulgação)
Raquel Brandão

Raquel Brandão

14 de junho de 2024 às 15:32

A queda recente das ações do Ultra abriu espaço para uma entrada no papel, segundo analistas do Citi. O banco deu upgrade para ação e passou a recomendar “compra”, mantendo preço-alvo de R$ 28, um prêmio de 29% sobre o valor de fechamento de quinta-feira.

“Achamos que a recente queda das ações oferece um bom nível para comprar, já que as melhorias contínuas na área de distribuição de combustíveis e operações comerciais resilientes em seus três principais segmentos devem gerar um bom potencial de alta”, escreveram os analistas do banco.

O time do banco esperava uma reação positiva dos investidores após a medida provisória (MP) relacionada aos créditos tributários de PIS/COFINS ser devolvida pelo Congresso, mas a expectativa não se concretizou, deixando ainda o papel negociado com desconto.

A visão positiva do banco é baseada no bom nível de rentabilidade da Ultragaz e nas maiores vendas pela Ultracargo, devido ao aumento da capacidade operacional. O também avalia que o horizonte é de competição mais saudável na indústria de distribuição de combustíveis e possível melhora de margens.

“A transformação em andamento no nível da holding também chama nossa atenção e esperamos que mais valor seja desbloqueado no médio prazo, impulsionado por fusões e aquisições (M&A) e reestruturação contínua”, de acordo com o relatório.

Antes do upgrade do Citi nesta sexta-feira, apenas o UBS recomendava compra da ação. Outros oito bancos mantêm recomendação “neutro” e o Morgan Stanley, “venda”. A ação acumula perda de mais de 18% no ano, negociada a R$ 21,76.

 

Para quem decide. Por quem decide.

Saiba antes. Receba o Insight no seu email

Li e concordo com os Termos de Uso e Política de Privacidade

Raquel Brandão

Raquel Brandão

Repórter Exame IN

Jornalista há mais de uma década, foi do Estadão, passando pela coluna do comentarista Celso Ming. Também foi repórter de empresas e bens de consumo no Valor Econômico. Na Exame desde 2022, cobre companhias abertas e bastidores do mercado

Continua após a publicidade
Santander e Banrisul: as novas apostas do Itaú BBA para o setor financeiro na Bolsa

Santander e Banrisul: as novas apostas do Itaú BBA para o setor financeiro na Bolsa

Na SYN, R$ 1 bi em dividendos no horizonte – e um re-rating esperando para acontecer

Na SYN, R$ 1 bi em dividendos no horizonte – e um re-rating esperando para acontecer