O feijão com arroz de Buffett: quase US$ 20 bi em petróleo e seguros

Em tempos de inflação e guerra, Buffett volta a fazer movimentos grandes - mais conservadores do que nunca
Warren Buffett: na falta de ativos excitantes, negócios conservadores para cenário de instabilidade (VOCÊ RH/Reuters)
Warren Buffett: na falta de ativos excitantes, negócios conservadores para cenário de instabilidade (VOCÊ RH/Reuters)
Por Graziella ValentiPublicado em 21/03/2022 11:07 | Última atualização em 21/03/2022 11:51Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Em tempos de commodities, inflação e juros em alta — além de guerra — ninguém inventa muita moda. Muito menos Warren Buffett, com sua Berkshire Hathaway. Depois de colocar a Occidental Petroleum na mira, o papa do value investing agora foi para cima do setor de seguros e anunciou a compra da Alleghany por US$ 11,6 bilhões. A maior tacada de Buffett em anos.

Com quase 100 anos (fundada em 1929), a Alleghany também é uma espécie de holding de investimentos e já mudou de cara algumas vezes, mas nas últimas décadas acumulou participações principalmente no setor de seguros e em suas mais diversas frentes. Apesar de o segmento estar vivendo um redespertar, com boas taxas de crescimento, a transação é no melhor estilo arroz com feijão.

Inscreva-se no EXAME IN e saiba hoje o que será notícia amanhã. Cadastre-se aqui e receba no email os alertas de notícias e das entrevistas quinzenais do talk show.

O atual CEO da Alleghany Josephy Brandon é ex-presidente da General Re., uma empresa da holding do Oráculo de Omaha. “A Berkshire será a casa permanente perfeita para a Alleghany, uma companhia que eu tenho observado de perto por 60 anos”, afirmou Buffett no anúncio da transação. O valor acordado equivale a 1,26 vez o valor de livro (patrimônio) da Alleghany e um prêmio de 16% sobre o preço das ações nos últimos 30 pregões. A expectativa é que a aquisição seja concluída no quarto trimestre do ano.

A Berkshire vale quase US$ 760 bilhões na bolsa de Nova York e terminou 2021 com aproximadamente US$ 130 bilhões em caixa. Desde que a pandemia se instalou, o mercado aguardava para saber quais seriam os grandes movimentos e as oportunidades encontradas por Buffett.

Depois de em 2020 sintetizar sua visão de que a economia iria se recuperar com a frase “nunca aposte contra a América”, Buffett agora começa a fazer negócios maiores. Juntas, Occidental e Alleghany somam mais de US$ 18 bilhões em investimentos. Mas neles está implícita a visão de que o mundo não está propenso a grandes invenções na seleção de portfólio. Aliás, essa nunca foi sua receita. Mas a falta de oportunidades mais "excitantes" foi até alvo de comentário da carta de Buffett e seu parceiro Charles Munger sobre o balanço de 2021 da Berkshire

Desde o fim de fevereiro, o investimento na Occidental Petrolum ultrapassa US$ 7 bilhões. A participação da Berkshire vem sendo consistentemente ampliada e já está em torno de 15%. Considerando warrants que Buffett possui na empresa, a fatia no capital total, quando esses títulos forem convertidos, superaria 25%.  Quando começou sua escalada na petroleira, a OXY, como é chamada no pregão, negociava abaixo de US$ 40 por ação. Agora, o papel está em torno de US$ 56 — e já superou a marca de US$ 58.

De 1 a 5, qual sua experiência de leitura na exame?
Sendo 1 a nota mais baixa e 5 a nota mais alta.

Seu feedback é muito importante para construir uma EXAME cada vez melhor.