Depois de aporte bilionário, Loggi chega a 2.100 cidades do Brasil

A empresa acaba de entrar em Rio Branco, última capital brasileira a receber seus serviços de logística. A meta é terminar o ano atendendo 3.000 municípios
 (Germano Lüders/Exame)
(Germano Lüders/Exame)
Por Carolina IngizzaPublicado em 06/08/2021 18:00 | Última atualização em 09/08/2021 10:39Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Nesta semana, o unicórnio brasileiro de logística e transporte Loggi chegou à última capital do país em que ainda não atuava: Rio Branco, no Acre. A marca coroa um movimento de expansão da empresa que tem acontecido com mais força desde fevereiro, quando ela captou um aporte de R$ 1,15 bilhão em uma rodada liderada pela CapSur Capital.

“Pela primeira vez, temos presença em todas as capitais do país. Isso é muito relevante para o nosso objetivo de conectar o Brasil e democratizar o acesso à logística”, diz ao EXAME IN Flávia Freitas, gerente de expansão da companhia.

Mas não foram só as 26 capitais e o Distrito Federal que ganharam a atenção da Loggi em 2021. Em janeiro deste ano, a empresa estava em 637 municípios brasileiros. Ao final de julho, já eram mais de 2.100 cidades, que concentram 157 milhões de pessoas, cerca de 75% da população.

A expansão se dá em um modelo misto, que combina agências próprias e parceiros, adotado desde 2019. Em regiões em que não faz sentido investir em uma equipe própria, a Loggi faz parcerias com transportadores pequenos, chamadas de Leves, que conhecem bem a região e podem garantir a entrega rápida dos pedidos usando a sua tecnologia.

Para a Loggi, estar em todos os estados é a retomada de um sonho antigo do cofundador Fabien Mendez de levar a empresa para as mais de 5.000 cidades brasileiras. Desde março do ano passado, quando a pandemia provocou um boom no e-commerce brasileiro, o volume de pedidos processados pela companhia deu um salto sem precedentes, forçando a empresa a parar sua expansão geográfica para poder dar conta da demanda. Só em 2020, a Loggi investiu R$ 150 milhões na abertura de seis novos centros de distribuição.

Com o aporte reforçando o caixa e possibilitando mais investimentos em infraestrutura, foi possível para a Loggi estabelecer a meta de chegar a 3.000 cidades até dezembro deste ano. Considerando a expansão do primeiro semestre, não deve ser difícil para a companhia cumprir o objetivo. Ao longo dos últimos seis meses, a empresa abriu mais sete novos centros de distribuição, o último deles inaugurado na última semana em Curitiba, no Paraná.

Em paralelo, o volume de pedidos transacionados pela empresa continuou aumentando: houve uma alta de 60% no primeiro semestre em relação ao mesmo período do ano anterior, segundo Freitas. Para poder assimilar o aumento, a companhia reforçou o seu quadro de funcionários. Eram 2.000 empregados em fevereiro e agora são quase 3.000.

Assine a EXAME e acesse as notícias mais importantes em tempo real.

De 1 a 5, qual sua experiência de leitura na exame?
Sendo 1 a nota mais baixa e 5 a nota mais alta.

Seu feedback é muito importante para construir uma EXAME cada vez melhor.