Logo Exame.com
Petróleo

Mais um mega M&A no petróleo: ConocoPhillips compra Marathon Oil por US$ 22,5 bi

Transação se soma à onda de consolidação entre petroleiras americanas, na busca por ativos na Bacia do Permian e no Golfo do México

ConocoPhillips está pagando um prêmio de 15% sobre a cotação de tela da Marathon (Getty Images/Reprodução)
ConocoPhillips está pagando um prêmio de 15% sobre a cotação de tela da Marathon (Getty Images/Reprodução)
Raquel Brandão

Raquel Brandão

29 de maio de 2024 às 12:00

As projeções de que o petróleo poderia chegar a US$ 100 por barril não se concretizaram, mas a volatilidade no mercado não está sendo um empecilho para o movimento de consolidação no setor.

Nesta manhã, a ConocoPhillips anunciou que está comprando a Marathon Oil, por US$ 22,5 bilhões, incluindo dívidas. A megaoperação se soma à compra da Pioneer Natural Resources pela Exxon Mobil, por US$ 60 bilhões e a fusão entre a Chevron e a Hess, por US$ 53 bilhões.

A onda de M&As vem num momento em que as gigantes americanas estão registrando lucros recordes, e aproveitando a geração de caixa para expandir suas operações, de olho principalmente nos prósperos -- e fragmentados – campos de xisto da chamada bacia do Permian.

De acordo com a Reuters, houve US$250 bilhões em atividades de fusões e aquisições no setor no ano passado.

Na transação anunciada hoje, a ConocoPhillips está pagando US$ 17 bilhões em equity, numa troca de ações que embute um prêmio de quase 15% sobre o preço de fechamento da Marathon no pregão de ontem. Com a notícia, o papel saltava 8,73% nesta manhã. Os US$ 5,5 bilhões restantes vem na forma de assunção de dívidas.

De acordo com a compradora, a aquisição aprofunda o portfólio, adicionando 2 bilhões de barris e ajudará a expandir sua presença em xisto. De acordo com o Financial Times, a ConocoPhillips venceu uma oferta feita pela Devon Energy.

A aquisição vem meses depois de a Conoco perdeu a batalha pela Endeavor Energy Resources, uma das produtoras privadas mas visadas na Bacia do Permian e no Novo México, para a Diamondback.

O CEO da Conoco, Ryan Lance, já vinha falando sobre seu desejo de expansão.

“Nossa indústria precisa de consolidar. Há muitos players. Escala importa, diversidade importa nesse negócio”, disse em entrevista à CNBC em março.

A aquisição da Marathon é a maior da Conoco desde que ela comprou a Concho Resources por US$ 10 bilhões em 2021, se aproveitando da recessão causada pela Covid.

Para quem decide. Por quem decide.

Saiba antes. Receba o Insight no seu email

Li e concordo com os Termos de Uso e Política de Privacidade

Raquel Brandão

Raquel Brandão

Repórter Exame IN

Jornalista há mais de uma década, foi do Estadão, passando pela coluna do comentarista Celso Ming. Também foi repórter de empresas e bens de consumo no Valor Econômico. Na Exame desde 2022, cobre companhias abertas e bastidores do mercado

Continua após a publicidade
Dasa e Amil unem hospitais em empresa de R$ 10 bi de receita

Dasa e Amil unem hospitais em empresa de R$ 10 bi de receita

Negociação de Amil e Dasa retoma jogadas de xadrez no mercado de saúde

Negociação de Amil e Dasa retoma jogadas de xadrez no mercado de saúde