Logo Exame.com
Varejo

Com taxação de importados e melhora do crédito, Citi vê sinais positivos e dá compra para Renner

Provisões diminuíram na Realize, o braço financeiro da varejista, e ambiente macroeconômico e competitivo deve dar fôlego à recuperação

Renner: taxação de importados de plataformas como a Shein deve ajudar a nivelar o campo de jogo, diz Citi (Vini Dalla Rosa/Divulgação)
Renner: taxação de importados de plataformas como a Shein deve ajudar a nivelar o campo de jogo, diz Citi (Vini Dalla Rosa/Divulgação)
Raquel Brandão

Raquel Brandão

6 de junho de 2024 às 14:18

Embora 2023 tenha sido difícil e 2024 ainda esteja desafiador para a Lojas Renner, a equipe do Citi está mais otimista com o papel e vê o início de uma recuperação, na esteira dos resultados do primeiro trimestre acima das expectativas do mercado. O time do banco americano passou a recomendar compra da ação, mas reduziu o preço-alvo de R$ 18,40 para R$ 18, um prêmio de 39% sobre o fechamento de quarta-feira. 

Incorporando os números do primeiro trimestre e o cenário desafiador de curto prazo, o banco afirma que a ação está a um preço atrativo, negociando a 10 vezes em relação ao lucro estimado para 2025. “Acreditamos que a ação deveria ser negociada, pelo menos, a 13 vezes”, escrevem os analistas.  

Uma das alavancas, de acordo com a equipe, é a perspectiva de que as importações até US$ 50 de plataformas online como a Shein, serão taxadas. Na quarta-feira à noite, o Senado aprovou o texto que institui um imposto federal de 20%, além do ICMS existente de 17%. "Isso deve ajudar a nivelar o campo de jogo, mesmo sem prejudicar os planos de crescimento de certos concorrentes no país”, escreve o banco.  

SAIBA ANTES: Receba as notícias do INSIGHT no Whatsapp

O banco reconhece que o clima de abril e maio não ajudou a coleção de outono-inverno e que as enchentes no Rio Grande do Sul devem ter impacto significativo para a Renner no segundo trimestre, mas acredita que a melhora mais ampla no ciclo de crédito é suficiente para dar tração à retomada da varejista.  

Os analistas destacam os resultados positivos da divisão de financiamento ao consumidor, a Realize. Não só as provisões diminuíram (e ficaram bem abaixo das expectativas do Citi), como a relação de cobertura para os empréstimos inadimplentes acima de 90 dias superou 100%.  

“Embora sejamos cautelosos quanto ao impacto das enchentes no RS (cerca de 10% do portfólio de crédito vem do estado), a empresa está indicando que o processo de recuperação dos resultados somada à concessão de crédito no segundo trimestre continua sendo uma ‘realidade’.” 

A ação da Renner subia 3,41%, para R$ 13,33, perto das 14h. No ano, no entanto, ainda acumula perda de mais de 22%.  

Para quem decide. Por quem decide.

Saiba antes. Receba o Insight no seu email

Li e concordo com os Termos de Uso e Política de Privacidade

Raquel Brandão

Raquel Brandão

Repórter Exame IN

Jornalista há mais de uma década, foi do Estadão, passando pela coluna do comentarista Celso Ming. Também foi repórter de empresas e bens de consumo no Valor Econômico. Na Exame desde 2022, cobre companhias abertas e bastidores do mercado

Continua após a publicidade
Dasa confirma negociação de hospitais com Amil e interesse de Tanure

Dasa confirma negociação de hospitais com Amil e interesse de Tanure

Um erro pode acabar com a privatização da Sabesp? Muita calma nessa hora

Um erro pode acabar com a privatização da Sabesp? Muita calma nessa hora