• AALR3 R$ 20,01 -0.30
  • AAPL34 R$ 70,99 3.76
  • ABCB4 R$ 16,93 1.62
  • ABEV3 R$ 14,23 0.14
  • AERI3 R$ 3,76 -0.53
  • AESB3 R$ 10,81 -1.01
  • AGRO3 R$ 31,09 -1.11
  • ALPA4 R$ 22,80 2.84
  • ALSO3 R$ 19,15 1.59
  • ALUP11 R$ 26,48 -0.08
  • AMAR3 R$ 2,52 -2.70
  • AMBP3 R$ 31,84 -1.58
  • AMER3 R$ 21,57 0.33
  • AMZO34 R$ 3,52 4.14
  • ANIM3 R$ 5,51 -0.72
  • ARZZ3 R$ 83,00 2.13
  • ASAI3 R$ 15,78 -1.93
  • AZUL4 R$ 20,92 -0.14
  • B3SA3 R$ 12,68 2.18
  • BBAS3 R$ 37,07 -1.04
  • AALR3 R$ 20,01 -0.30
  • AAPL34 R$ 70,99 3.76
  • ABCB4 R$ 16,93 1.62
  • ABEV3 R$ 14,23 0.14
  • AERI3 R$ 3,76 -0.53
  • AESB3 R$ 10,81 -1.01
  • AGRO3 R$ 31,09 -1.11
  • ALPA4 R$ 22,80 2.84
  • ALSO3 R$ 19,15 1.59
  • ALUP11 R$ 26,48 -0.08
  • AMAR3 R$ 2,52 -2.70
  • AMBP3 R$ 31,84 -1.58
  • AMER3 R$ 21,57 0.33
  • AMZO34 R$ 3,52 4.14
  • ANIM3 R$ 5,51 -0.72
  • ARZZ3 R$ 83,00 2.13
  • ASAI3 R$ 15,78 -1.93
  • AZUL4 R$ 20,92 -0.14
  • B3SA3 R$ 12,68 2.18
  • BBAS3 R$ 37,07 -1.04
Abra sua conta no BTG

IG4 aporta US$ 57 mi na Adelco, líder em armazéns logísticos do Chile

Negócio pertence aos herdeiros da família Paulmann, dona do Cencosud, que buscaram sócios para liderar modernização
Jumbo, do grupo Cencosud: Adelco nasceu como consequência natural da necessidade logística dos empreendimentos dos donos da rede varejista chilena, a família Paulmann (Wikimedia Commons/Wikimedia Commons)
Jumbo, do grupo Cencosud: Adelco nasceu como consequência natural da necessidade logística dos empreendimentos dos donos da rede varejista chilena, a família Paulmann (Wikimedia Commons/Wikimedia Commons)
Por Graziella ValentiPublicado em 11/11/2021 13:43 | Última atualização em 12/11/2021 20:24Tempo de Leitura: 4 min de leitura

A gestora de private equity IG4 Capital assinou a compra de 50% da Adelco, a maior companhia de galpões e armazéns logísticos do Chile, com cobertura nacional e ainda operações na Argentina, Bolívia e Peru. A compra ocorreu por meio de um aporte de US$ 57 milhões (45 bilhões de pesos chilenos), totalmente primário e que será integralmente dedicado a investimentos e melhorias.

O curioso na história da Adelco é que, cientes dos desafios de modernização, mas, ao mesmo tempo, das oportunidades, os irmãos Paulmann Mast, donos da empresa e herdeiros do empresário Jürgen Paulmann, procuraram a IG4 para uma sociedade. O patriarca, que morreu em 2014, foi um imigrante alemão que prosperou em diversos setores da economia do país. Ele e seu irmão Horst Paulmann foram os fundadores da maior rede de varejo do país, a Cencosud, que rendeu grande notoriedade à família.

A Adelco, que atua na distribuição de produtos de consumo B2B, nasceu como uma consequência natural do crescimento dos Paulmann no varejo, com redes como a Las Brisas e o hipermercado Jumbo, que foram as bases da Cencosud. Em 2001, Jürgen partiu para outras aventuras empreendedoras e tornou-se também dono da Sky Airlines e, após terminar de vender as operações de comércio ao irmão, que ficou sozinho com a Cencosud,  também investiu na produção de sorvetes e na exportação de frutas vermelhas e carnes.

Em razão da disposição a um acordo, a IG4 é quem vai indicar a gestão para promover toda a modernização do ativo, que precisa passar por um banho de digitalização, conforme apurou o EXAME IN. As conversas entre eles começaram ainda em 2020. De lá para cá, a gestora, fundada por Paulo Mattos, fez diversos estudos para avaliar a viabilidade do processo e ter ideia dos investimentos necessários. A McKinsey realizou uma profunda due dilligence para esse diagnóstico.

Apesar de sediada em Londres, a IG4 tem operações locais em Santiago, Lima e Madri, além de São Paulo. Para o ano que vem, a gestora deve abrir um escritório também em Bogotá. Os escritórios do Chile e do Peru estão aos cuidados do chileno Pablo Kuhlenthal.

A Adelco, cujo nome vem da abreviação Abastecedo del Comercio, atende cerca de 3.000 pontos de venda espalhados pelo Chile, por meio de 12 centros de distribuição, diversos galpões e muitos ativos imobiliários. É característica da IG4 atuar em negócios atrelados a ativos físicos, o que muita gente gosta de chamar de economia real.

Quem conhece de perto o setor de distribuição chileno conta que a empresa está muito bem posicionada comercialmente. É a maior distribuidora do país em produtos de consumo, de alimentos a higiene e limpeza. Contudo, a companhia, por hoje estar distante de ser o principal ativo da família Paulmann, ficou desatualizada e não acompanhou a forte modernização da indústria.

Para a gestora de Paulo Mattos, especializada em recuperação de empresas e ativos alternativos, a oportunidade chegou em boa hora, justamente quando a pandemia deixou evidente que a logística é, ao mesmo tempo, o coração e as pernas do comércio eletrônico. Sem uma boa distribuição, impossível desenvolver bons canais digitais. Foi o último investimento do Fundo II. Agora, a casa criada pelo brasileiro, que já realizou investimentos de US$ 1,1 bilhão, vai partir em busca do terceiro fundo, para o qual pretende captar cerca de US$ 500 milhões.

De 1 a 5, qual sua experiência de leitura na exame?
Sendo 1 a nota mais baixa e 5 a nota mais alta.

Seu feedback é muito importante para construir uma EXAME cada vez melhor.