Logo Exame.com
GetNinjas

Na GetNinjas, REAG vai de all in

Gestora que quer barrar distribuição de caixa atinge 25%, dispara poison pill e quer destituir o conselho

GetNinjas: Empresa queria distribuir 70% dos recursos captados no IPO de volta aos acionistas (GetNinjas/Divulgação)
GetNinjas: Empresa queria distribuir 70% dos recursos captados no IPO de volta aos acionistas (GetNinjas/Divulgação)
Natalia Viri

Natalia Viri

11 de outubro de 2023 às 18:38

Após semanas montando posição para influenciar o comando da GetNinjas, a REAG foi de all in. A gestora acaba de anunciar que chegou a participação de pouco mais de 25%, batendo na cláusula de poison pill que dispara uma oferta por todo o capital da empresa, e pediu a convocação de uma asssembleia para destituir todo o conselho da companhia.

O anúncio vem no mesmo dia em que a GetNinjas divulgou um fato relevante questionando se a REAG – até então com 24% do capital -- estaria atuando em conjunto com a Arc Capital, fundo que comprou 17% da startup de serviços domésticos na última semana. Se estivessem atuando como um grupo único, argumentou a empresa, precisariam fazer uma oferta pública de aquisição.

Em comunicado divulgado há pouco, a REAG afirma que “não possui e não executou qualquer acordo e/ou contrato com outros acionistas da Companhia regulando o exercício do direito de voto ou à compra e venda de valores mobiliários emitidos pela companhia”.

A disposição de fazer a oferta pública de aquisição (OPA) é um plot twist numa novela que vem se arrastando há quase um mês.

Tudo começou quando a GetNinjas propôs uma redução de capital de R$ 270 milhões, praticamente o mesmo valor de mercado da companhia, para devolver aos acionistas boa parte dos recursos captados no IPO e que estavam parados no caixa – num valor equivalente a R$ 4,40 por ação.

A operação precisa ser aprovada por uma assembleia convocada para o próximo dia 23.

A REAG entrou com uma forte força compradora nos dias seguintes, e declarou o objetivo de barrar a redução de capital. O objetivo declarado da gestora é montar um ecossistema de negócios em torno da GetNinjas, usando parte do caixa para comprar startups de gestão de condomínios e adquirência das quais é acionista -- o que fez a GetNinjas questionar um possível conflito de interesses.

O fundador de GetNinjas Eduardo LHotellier chegou a aumentar sua participação, de 18% para 20% das ações, numa tentativa de formar base para conter o avanço da REAG, passar seu plano na assembleia e se manter à frente da companhia.

Na semana passada, outra gestora, a Arc Capital começou a comprar papéis da GetNinjas, e chegou a 17% do capital – lançando uma bidding war que levou os papéis da startup a marcarem alta de até 10% nas máximas da cotação na segunda-feira, antes de desabarem nos pregões seguintes.

Pelo estatuto da GetNinjas, o preço a ser pago na OPA é a média ponderada dos últimos 30 pregões, cerca de R$ 4,52 por ação. Hoje, os papéis fecharam o dia a R$ 4,20.

Para quem decide. Por quem decide.

Saiba antes. Receba o Insight no seu email

Li e concordo com os Termos de Uso e Política de Privacidade

Natalia Viri

Natalia Viri

Editora do EXAME IN

Jornalista com mais de 15 anos de experiência na cobertura de negócios e finanças. Passou pelas redações de Valor, Veja e Brazil Journal e foi cofundadora do Reset, um portal dedicado a ESG e à nova economia.

Continua após a publicidade
ESPECIAL: Nove anos após o desastre de Mariana, um acordo tão perto (e tão longe)

ESPECIAL: Nove anos após o desastre de Mariana, um acordo tão perto (e tão longe)

Na Méliuz, redução de capital tem cheiro de reprise de GetNinjas

Na Méliuz, redução de capital tem cheiro de reprise de GetNinjas