Logo Exame.com
Câncer

Com Unimed Recife, Oncoclínicas cresce no Nordeste

Empresa vai investir R$280 milhões em cinco anos em parceria com a maior operadora de saúde da capital pernambucana

Oncoclínicas: parceria aumenta penetração da empresa em Pernambuco (Oncoclínicas/Reprodução)
Oncoclínicas: parceria aumenta penetração da empresa em Pernambuco (Oncoclínicas/Reprodução)
Raquel Brandão

Raquel Brandão

12 de setembro de 2023 às 07:00

A Oncoclínicas está aumentando sua presença no Nordeste. A empresa fechou um acordo de parceria com a Unimed Recife para coordenar toda a linha de serviços médicos ambulatoriais oncológicos e de terapias sistêmicas imunomediadas para a maior operadora de saúde da capital pernambucana pelos próximos 30 anos.

O acordo aumenta a penetração da companhia no Estado, onde já opera com quatro unidades, e vai aumentar sua participação em todo o mercado nacional, atualmente em 18%.

Com 134 unidades em 13 Estados, a Oncoclínicas tem maior presença em São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Bahia, além do Distrito Federal.

A empresa de saúde investida pela Goldman Sachs – hoje com 45,48% após vender uma fatia no follow on de junho – investirá até R$ 280 milhões em cinco anos, sendo R$ 168 milhões já no fechamento da transação e os R$ 112 milhões restantes ao longo desse período, de acordo com o atingimento de metas. A operação também depende da aprovação no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

A operadora recifense tem aproximadamente 182 mil beneficiários, além de coordenar mais 90 mil beneficiários do Sistema Unimed em Recife, por meio do regime de intercâmbio. Em 2022, a empresa registrou um volume de tratamentos infusionais ambulatoriais de cerca de R$ 200 milhões.

Segundo fato relevante que acaba de ser publicado, a Unimed Nacional terá o direito de participar do acordo, com formato ainda a ser definido pelas partes. Há quase um ano, a operadora de saúde e a Oncoclínicas criaram uma joint venture que permitiu que as Unimed regionais criassem parcerias para a gestão oncológica.

Parcerias desse tipo têm sido uma das apostas de crescimento da empresa em todo o setor de saúde. No início desse ano, o Cade aprovou o acordo com a Porto Seguro (seguradora com mais de 400 mil vidas, principalmente em São Paulo) para criar uma JV de oncologia. A Oncoclínicas detém 60% e a Porto, 40%. Por meio da JV, as duas operam um modelo de cuidados integrados.

As parcerias são um meio das operadoras verticalizarem a operação e lidar com desafio dos altos custos do tratamento oncológico. A Oncoclínicas oferece aos seguradores de saúde sua capacidade em oncologia a um preço mais competitivo em troca de um fluxo garantido de pacientes. Essas parcerias funcionam como uma espécie de integração vertical virtual para planos de saúde, reduzindo o desperdício e exames/tratamentos desnecessários.

O BTG Pactual (do mesmo grupo que controla a Exame) estima que a participação da Oncoclínicas no mercado de clínicas de tratamento oncológico deve chegar a 21% este ano e a 24% em 2025.

Hoje, segundo o banco, os concorrentes Dasa e Rede D’Or detém, respectivamente, 5% e 10% do mercado de clínicas de tratamento oncológico, dos quais os 67% restantes estão pulverizados entre outros grupos de saúde.

Para quem decide. Por quem decide.

Saiba antes. Receba o Insight no seu email

Li e concordo com os Termos de Uso e Política de Privacidade

Raquel Brandão

Raquel Brandão

Repórter Exame IN

Jornalista há mais de uma década, foi do Estadão, passando pela coluna do comentarista Celso Ming. Também foi repórter de empresas e bens de consumo no Valor Econômico. Na Exame desde 2022, cobre companhias abertas e bastidores do mercado

Continua após a publicidade
Oncoclínicas vai levantar R$ 1,5 bi ancorada pelo Master – a R$ 13 por ação

Oncoclínicas vai levantar R$ 1,5 bi ancorada pelo Master – a R$ 13 por ação

É grave, doutor? Nos hospitais listados, um mês a menos de receita em capital de giro

É grave, doutor? Nos hospitais listados, um mês a menos de receita em capital de giro