App tem 500 mil votos para acompanhar leis e “tirar pessoas da bolha”

Plataforma do 'Poder do Voto' tem 65 mil usuários e plano do fundador é levantar recursos no segundo semestre para elevar público a 800 mil

Em tempos críticos, enquanto a senhora Democracia convulsiona, o jovem aplicativo Poder do Voto, que busca aproximar o cidadão do senadores e deputados eleitos, comemora o acúmulo do que? De votos. Nas últimas semanas, alcançou um total de 500 mil realizados na plataforma, em menos de dois anos, e está rapidamente caminhando para os 600 mil.

Lançado em agosto de 2018, tem hoje 65 mil usuários. O fundador, Mario Mello, contou ao EXAME IN que criou o projeto “para tirar as pessoas de suas bolhas”. Com histórico profissional no setor financeiro, explicou que teve a ideia durante uma mentoria para CEOs em Harvard, há três anos, quando se deu conta da necessidade de produzir algo de bom para sociedade e viu na tecnologia um caminho.

O objetivo, segundo ele, é que as pessoas possam acompanhar o trabalho de senadores e deputados que elegem, para verificar se eles de fato os representam.

“O lugar de discutir política não é o Facebook. O palco democrático é o Congresso. É lá que as ideias devem ser debatidas”, enfatizou Mello, que está preocupado com a forte polarização das opiniões no país, mas baixo engajamento real da população em saber o que os seus escolhidos fazem de fato.

A meta do fundador é ter, pelo menos, dois milhões de usuários. Ele acreditava que conseguiria esse total em dois anos. Contudo, vem percebendo que o desafio de alcançar a população é grande.

O plano para o segundo semestre é levantar 450 mil reais para conseguir dar um salto e elevar o total de usuários para 800 mil. “Essa estimativa não é um chute. É o que sabemos ser possível conquistar com base em inteligência de dados.”

Durante 2019, a plataforma recebeu o equivalente 2,7 milhões de reais em horas trabalhadas e serviços prestados de voluntários e empresas parceiras. Em doações, o total arrecadado no ano ficou em 241 mil reais.

O voto que Mello comemora no aplicativo é feito sobre os projetos de lei. Os mais relevantes para a população são registrados na plataforma, com auxílio de consultorias políticas como a Patri e a Arko.

Essa manifestação de opinião gera um relatório para os congressistas a respeito de como pensa a sua base de eleitores. Além disso, funciona para construir um perfil de cada usuário e tornar possível avaliar se a escolha do deputado ou senador foi compatível com sua visão e interesses.  Caso não seja, o aplicativo pode apontar quem são os políticos que dão “match” com sua opinião e valores. Essa combinação é tanto mais efetiva quanto mais ativo for o usuário.

O Poder do Voto é para ser entendido como uma ferramenta para o cidadão. “Todo mundo sempre fala que é impossível acompanhar o trabalho de deputado e senador. A maioria das pessoas nem lembra em que votou”, disse Mello. “Isso precisa mudar.”

Não é por acaso que o logotipo que representa a plataforma é um binóculo. A simbologia indica que, mesmo à distância, o eleitor pode ver de perto como se comporta seu representante lá no Planalto Central do Brasil. No lançamento do aplicativo, a agência de publicidade Leo Burnett colocou um binóculo inflável enorme mirando o Congresso – esse mesmo da foto acima.

Hoje, quem der uma espiada rápida na plataforma pode ver que a pandemia se espalhou na rotina dos parlamentares. Os principais projetos em discussão e votação hoje têm relação com o coronavírus – são mais de 15, para ficar naqueles de maior destaque.

Os debates vão desde suspensão de pagamentos do financiamento estudantil, adiamento do prazo para a declaração do imposto de renda, passam pelos programas de apoio às pequenas e médias empresas e pela tarifa social na conta de energia, e vão até a saúde, com a questão de equipamentos liberados pela Anvisa.

“O voto não acaba na urna”, costuma repetir Mello sempre que fala de sua empreitada.

 

Espera! Tem um presente especial para você.

Uma oferta exclusiva válida apenas nesta Black Friday.

Libere o acesso completo agora mesmo com desconto:

exame digital

R$ 15,90/mês

R$ 6,36/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

R$ 40,41/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.