Asaas: fintech investida pelo Bradesco compra carteira digital Code Money

A companhia, especializada na gestão de pagamentos de pequenas empresas, planeja usar a aquisição para impulsionar sua área de crédito

Ser uma empresa "assistente do empreendedor": essa é a missão da fintech catarinense Asaas. A companhia, fundada em 2013 pelos irmãos Piero e Diego Contezini, oferece serviços de gestão de pagamentos para mais de 60.000 profissionais autônomos e pequenas empresas do país todos os meses.

Com a operação, que transacionou mais de R$ 2,4 bilhões no ano passado, a fintech atraiu um investimento de R$ 37 milhões liderado pelo fundo Inovabra Ventures, do Bradesco, em outubro de 2020. Agora, anuncia com exclusividade ao EXAME IN a aquisição da startup Code Money para ampliar suas soluções para os clientes finais. O valor da transação não foi divulgado.

“Durante a pandemia, as pessoas perderam o medo dos pagamentos online, ninguém quer usar mais dinheiro. Com a Code Money, conseguimos oferecer aos nossos clientes uma frente de caixa digital”, diz Piero Contezini. Na visão do empreendedor, a startup adquirida é uma mistura de "PicPay com iFood", que utiliza códigos QR para substituir desde os cardápios dos restaurantes às maquininhas de cartão.

Para a Asaas, trazer a Code Money para o seu ecossistema de soluções é uma forma de ajudar os empreendedores clientes com uma dor latente: o crédito. A startup adquirida, com seus 3.000 lojistas clientes e mais de 60.000 usuários finais, desenvolveu um motor de crédito para parcelar compras no cartão e antecipar recebíveis para os lojistas.

Aproveitando a estrutura, a Asaas quer ir além e entrar no mercado de "buy now pay later", uma espécie de crediário digital, popularizado no mundo pelos unicórnios Klarna e Affirm, em que os clientes podem fazer compras online parceladas sem precisar do cartão de crédito. “As empresas que trabalham com esse modelo de crédito tem a dificuldade de convencer os lojistas a usar sua solução. No caso da Asaas, nossa vantagem é que já temos uma base grande de companhias clientes”, diz o fundador.

A aquisição é a segunda que a companhia fez neste ano — mas não deve ser a última. Em maio, a Asaas comprou a startup Base ERP, dona de um software de gestão voltado para micro e pequenos negócios. A visão dos sócios é de que a empresa precisa ter tecnologia para ajudar os clientes desde a emissão de boletos ao recebimento e gestão dos pagamentos.

O negócio, que passou de 140 para 400 funcionários desde o aporte no ano passado, projeta terminar o ano transacionando R$ 6 bilhões na sua plataforma e com pelo menos 100.000 clientes ativos em dezembro. Para acelerar o crescimento, os sócios não descartam outra rodada ainda em 2021.

Assine a EXAME e acesse as notícias mais importantes em tempo real.

De 1 a 5, qual sua experiência de leitura na exame?
Sendo 1 a nota mais baixa e 5 a nota mais alta.

Seu feedback é muito importante para construir uma EXAME cada vez melhor.

 

 

 

 

 

 

 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também