A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Retrospectiva 2020: covid-19, nuvem de gafanhoto, George Floyd, Selic a 2%

Último Examinando do ano traz a retrospectiva de 2020 com os principais acontecimentos que marcaram o Brasil e no mundo

No ano de 2012 era comum ouvir as pessoas comentando sobre o fim do mundo. Várias teorias sugeriam que o apocalipse aconteceria no dia 21 de dezembro de 2012. Elas surgiram de crenças relacionadas ao calendário Maia, que teria exatamente o dia 21 de dezembro de 2012 registrado como o último. Não há registro do que viria depois disso.

Como a gente bem sabe, o fim do mundo não chegou em 2012, mas 2020 tem sido um ano tão desafiador que é claro que surgiram novas teorias afirmando que 2020 é o novo 2012 e que talvez esse seja o último ano da existência. Com as maiores ondas de incêndios florestais, ataques militares entre grandes potências, nuvem de gafanhotos e, claro, a pandemia da covid-19, esse ano pode gerar uma curiosidade sobre o futuro da existência humana até nos mais céticos. No Examinando de hoje, a gente traz a retrospectiva de 2020 com os principais acontecimentos no Brasil e no mundo este ano.

A ideia de que 2020 seria o novo 2012 e, portanto, o ano em que o mundo acabaria surgiu no Twitter. Segundo ela, há um erro de leitura no calendário Maia, e o fim do mundo, antes previsto para 21 de dezembro de 2012, ocorreria na verdade em 21 de junho deste ano. A teoria foi difundida pelo tabloide The Sun. De acordo com a publicação, um suposto cientista chamado Paolo Tagaloguin publicou no Twitter que "seguindo o calendário Juliano, nós, tecnicamente, estamos em 2012".

O calendário Juliano foi utilizado até o ano de 1582 quando o papa Gregório 13 reformulou a ferramenta que passou a se chamar calendário gregoriano, o que usamos até hoje. Nessa mudança alguns dias foram perdidos e quando se faz a conta, pelo calendário Juliano nós estaríamos em 2020. Mas teorias da conspiração à parte, 2020 realmente foi um ano conturbado e cheio de desafios.

O ano já começou agitado quando no dia 3 de janeiro um ataque dos EUA matou o general e herói iraniano Qasem Soleimani no Iraque. Segundo o departamento americano de Defesa, a ordem para liquidar Soleimani teria partido diretamente de Donald Trump. Isso, claro, criou uma grande tensão entre os países e se até na possibilidade de uma terceira guerra mundial.

Ainda em janeiro, a Austrália viveu a maior onda de incêndios florestais da história do país. Milhares de pessoas precisaram ser retiradas de suas casas por causa do fogo. Uma área maior que a Suíça foi queimada e os danos foram praticamente irreparáveis. Os incêndios foram tão quentes e tão grandes que eles criaram seus próprios padrões climáticos, o que ajudou a piorar as condições. As imagens de fogo em florestas, e animais em meio às chamas chamou atenção do mundo todo.

Também logo no começo de 2020, em 6 de janeiro, a Nasa anunciou a descoberta de um exoplaneta do tamanho da Terra que fica próximo de uma estrela. A posição do “TOI 700 d” favorece a presença de água em estado líquido — condição essencial para vida como a conhecemos.

Em março, a Organização Mundial da Saúde declarou oficialmente a pandemia do novo coronavírus, causador da covid-19. Até onde se sabe, o vírus surgiu na China e até agora segue matando milhões de pessoas no mundo todo. Atualmente são mais de 65 milhões de casos e 1,5 milhão de óbitos pela doença. Vacinas contra o vírus estão em processo de desenvolvimento e algumas já foram aprovadas em alguns países.  Além das vidas perdidas, a pandemia atingiu a imensa maioria dos setores da economia. As bolsas de valores mundiais registraram as maiores quedas da história. O Ibovespa, a bolsa brasileira, chegou a ter 6 circuit breakers no intervalo de duas semanas em março. O circuit breaker é um mecanismo da bolsa de valores que interrompe todas as negociações de compra e venda de ações quando o mercado passa por uma queda acentuada.

Em junho, a morte de George Floyd, homem negro de 46 anos asfixiado por um policial branco, deu início a uma onda de protestos nos Estados Unidos. As manifestações se espalharam pelo mundo e chegaram ao Brasil. Nas rede sociais, o movimento foi impulsionado pela hashtag #VidaNegrasImportam. Ainda no sexto mês do ano, um “ciclone-bomba” atingiu o Sul do Brasil com ventos de até 100km/h e deixou dez mortos e um rastro de estragos.

Já no mês de julho a notícia foi uma nuvem de gafanhotos que atingiu a Argentina e o Brasil. Cerca de 400 milhões de gafanhotos estavam sobrevoando os país e pondo em risco vários hectares de plantações. Agosto foi marcado por uma explosão gigantesca no Líbano que deixou pelo menos cerca de 5.000 feridos e mais de 130 mortos. Cerca de 250 mil pessoas perderam suas casas na explosão, o que causou danos de US$ 3 bilhões. Foi em agosto também que algo inédito aconteceu na economia brasileira: o Banco Central cortou a taxa Selic para 2% ao ano, o menor valor da história. Os seguidos cortes na Selic foram um dos motivos que levaram ao aumento de pessoas física entrando na Bolsa de Valores, atrás de melhores rendimentos.

Em setembro, as queimadas no Pantanal e na Amazônia se tornaram assunto no mundo todo. Os efeitos dos incêndios nos biomas brasileiros avançaram para pelo menos outros cinco países vizinhos. Foi formada uma grande nuvem de fumaça que chegou a 5 mil quilômetros quadrados.  Foi em setembro também que pesquisadores encontraram sinal de vida em Vênus. O planeta fica a cerca de 41 milhões de quilômetros da Terra, e é o mais próximo do nosso. Segundo pesquisadores, a presença de vida no local pode existir graças a existência de gás de fosfina na atmosfera do planeta.

Outubro também foi o mês das descobertas científicas quando a Nasa anunciou ter encontrado água na Lua. Ainda não é certo se ela é potável e se é parecida com a água que temos na Terra, mas a descoberta traz novas perspectivas importantes para a exploração lunar. O lançamento do PIX, em novembro, aconteceu mesmo com todos esses eventos na economia. A tecnologia permite a transferência de dinheiro instantânea, 24 horas por dia e gratuita para pessoa física.

Novembro foi o mês marcado pelas eleições nos Estados Unidos. Em uma disputa muito apertada e vitória em estados historicamente republicanos, o democrata Joe Biden foi eleito como novo presidente norte-americano. O atual presidente Donald Trump alegou que o processo eleitoral sofreu fraudes, mas não apresentou nenhuma prova para a afirmação. Trump também pediu na Justiça a recontagem de votos, mas os resultados não foram alterados e a vitória de Biden foi confirmada. O processo de contagem dos votos americanos durou uma semana até ser anunciado o ganhador. Esse fato gerou muito memes na internet.

O mês dezembro chegou trazendo boas notícias e alguma esperança pra 2021. As primeiras vacinas contra o coronavírus foram aprovadas e a vacinação em massa deve começar no início do ano que vem. Como vocês viram, e viveram, 2020 não foi um ano fácil. Se ele vai ser o ano do fim do mundo ou não, a gente descobre daqui a poucos dias. Vamos torcer pra que não, é claro.