Xiaomi pode ter relevado o preço de seu "Chromecast"

Semelhante ao dispositivo do Google, Mi TV Stick foi apresentado no mês passado e pode chegar às lojas já em julho
Xiaomi: empresa chinesa quer ser uma rival para o Google e a Amazon (Xiaomi/Divulgação)
Xiaomi: empresa chinesa quer ser uma rival para o Google e a Amazon (Xiaomi/Divulgação)
R
Rodrigo Loureiro

Publicado em 22/06/2020 às 12:05.

Última atualização em 22/06/2020 às 12:05.

A Xiaomi apresentou o Mi TV Stick em maio deste ano e se postou com uma desafiante para Google e Amazon em um mercado dominado por dispositivos como Chromecast e Fire TV Stick. Mas combater essas rivais pode não ser tão simples, ainda mais se o dispositivo chinês chegar mais caro do que seus concorrentes, como pode ter revelado um vazamento recente.

Segundo informações e imagens obtidas pelo site GizmoChina, aparelho chegaria em duas versões e custaria a partir de 49 dólares em sua configuração mais simples, com 1 GB de memória RAM e capaz de transmitir conteúdo em qualidade Full HD. A versão 4K, que tem o dobro de memória RAM, tem preço sugerido de 133 dólares. Para efeito de comparação, o Chromecast custa 29 dólares e o Fire TV Stick sai por 40 dólares.

A expectativa da Xiaomi, então, deve ser tentar ganhar os consumidores pela qualidade. O aparelho de fato parece ser interessante. Nos detalhes técnicos, o gadget conta com 8 GB de espaço de armazenamento, conexões Wi-Fi Dual-Band e Bluetooth 4.2, suporte para som nos padrões Dolby Atmos e DTS Surround e sistema operacional Android 9.0. Há ainda suporte para o assistente de voz Google Assistente.

Mi TV Stick: aparelho da Xiaomi teve fotos e preços revelados por site (GizmoChina/Reprodução)

É também interessante a adição de um controle remoto próprio para o uso do aparelho. O controlador tem design simples e conta, inclusive, com botões próprios para acesso a serviços de streaming como Netflix e Amazon Prime Video.

Apresentado em maio deste ano, o Mi TV Stick ainda não tem previsão para ser lançado. A expectativa do mercado, até por conta dos vazamentos, é de que o produto chegue às lojas durante o mês de julho, mas a Xiaomi ainda não revelou uma data oficial para isso acontecer.