Tecnologia

Vídeos com influenciadores geram até 7033% mais vendas, revela estudo inédito

Eles já dominam o mercado de mídia, mas um levantamento da VidMob, de tecnologias para marketing digital, confirma que faz bem para os negócios investir em produtores de conteúdo para as redes sociais

Criadores de conteúdo em alta: fatores como comunicação direta, baixo custo de aquisição de cliente e retorno sobre os produtos em tempo real favorecem esse tipo de mídia (MStudioImages/Getty Images)

Criadores de conteúdo em alta: fatores como comunicação direta, baixo custo de aquisição de cliente e retorno sobre os produtos em tempo real favorecem esse tipo de mídia (MStudioImages/Getty Images)

Se o famoso 'publi' é uma fonte lucrativa para os influenciadores, que ganham quantias significativas ao vender o engajamento de suas redes, o retorno é igualmente benéfico para as marcas que apostam neles para alcançar os consumidores.

É o que mostra um estudo inédito da VidMob, de tecnologias para marketing digital, que revelou que vídeos de criadores digitais geram até 7033% mais vendas.

Para chegar a essa conclusão, a VidMob analisou campanhas em vídeo das empresas Daki, Vivara, Cora, ClickBus e Plusdin. Nas peças publicitárias dessas marcas foi aplicado uma tecnologia da empresa que avalia as imagens dos vídeos, frame a frame, e também monitoram o comportamento de quem os assiste nas redes sociais.

Ao final, os vídeos produzidos com influenciadores e auxiliados pela plataforma da VidMob foram comparados com os filmes sem criadores digitais. Como resultado, além do incremento nas vendas já mencionado, houve um aumento nas visualizações de cerca de 10%.

“Estamos entrando na terceira era da comunicação, que é a era da produção de conteúdo pelo usuário, a era da ascensão da creator economy”, afirma Camilo Barros, Head of Sales and Partnerships Latam da VidMob, empresa americana de tecnologia.

De acordo com Barros, as plataformas de vídeo, como o TikTok, Kwai, o Shorts, do YouTube, e o reels, do Instagram, privilegiam a produção de conteúdos pelos creators, e as empresas estão descobrindo que não podem focar apenas em influenciadores para promover seus produtos.

“Os estrategistas das marcas estão descobrindo o valor dos criadores que usam a linguagem nativa da plataforma e até de cada plataforma para que a mensagem atinja, de fato, quem deve alcançar”, diz Barros.

No entanto, não basta apenas se unir aos influenciadores para alcançar bons resultados de marketing e vendas nas redes sociais. De acordo com o estudo, existem alguns elementos que contribuem para o sucesso dos vídeos.

Peças com presença humana, especialmente com quando a pessoa olha para frente, são mais eficientes, pois criam proximidade com o público. Outra conclusão foi que cores quentes desencadearam gatilhos que aumentam a taxa de vendas, enquanto a utilização de uma caixa de texto gerou queda de 23% no CPM (custo por mil impressões).

“Esses elementos combinados deixam a peça mais orgânica para o usuário da plataforma e, no momento em que ele está vendo vídeos de interesse, encontra um anúncio que também conversa com as suas preferências. Não é algo que interrompe sua experiência, mas, sim, o entretém”, finaliza o executivo.

Mais de Tecnologia

Apenas 20% dos CFOs estão satisfeitos com os resultados dos investimentos em tecnologia

Meta negocia comprar 5% da EssilorLuxottica, dona da Ray-Ban que comprou a Supreme, diz WSJ

Meta abre dados do Instagram para estudo do impacto na saúde mental de adolescentes

O que é o Prime Day? Nos EUA, ele deve movimentar US$ 14 bilhões

Mais na Exame