• BVSP 101.882,12 pts -0,9%
  • USD R$ 5,6238 +0,0215
  • EUR R$ 6,3741 +0,0461
  • ABEV3 R$ 16,08 -1,59%
  • BBAS3 R$ 31,73 +2,99%
  • BBDC4 R$ 19,87 -1,97%
  • BRFS3 R$ 19,79 -2,99%
  • BRKM3 R$ 49,6 -4,98%
  • BRML3 R$ 7,88 -1,25%
  • CSAN3 R$ 21,22 -1,21%
  • ELET3 R$ 32,53 -1,18%
  • EMBR3 R$ 19,33 -2,13%
  • Petróleo US$ 70,11 -4,25%
  • Ouro US$ 1.774,40 -0,60%
  • Prata US$ 22,84 -0,07%
  • Platina US$ 931,60 -3,41%

US$ 400 milhões do Nubank e outros grandes investimentos em startups

O aporte da fintech vem no rastro de outros investimentos milionários (e bilionários) feitos em startups nos últimos meses

Nesta quinta-feira, 28, o Nubank levantou 400 milhões de dólares em sua sétima rodada de investimentos, o que levou a fintech a se tornar uma das cinco maiores instituições financeiras da América Latina.

O aporte vem no rastro de outros investimentos milionários (e bilionários) feitos em startups nos últimos meses. De janeiro a setembro de 2020, as startups do setor financeiro receberam aportes que ficaram na casa dos 939 milhões de dólares, segundo dados da Distrito, cubo de inovação.

Indo além das fintechs, diversas companhias se tornaram unicórnios no ano passado – termo utilizado para definir startups avaliadas em mais de 1 bilhão de dólares – após rodadas de investimento robustas.

Foi o caso da brasileira MadeiraMadeira, e-commerce de móveis, que seguiu o exemplo de empresas como Wildlife, Ebanx, Loggi, Quinto Andar e Gympass. Antes delas, o seleto grupo dos unicórnios incluía as companhias 99, Nubank, iFood e Movile. 

Confira abaixo uma lista dos aportes milionários que startups latinas receberam nos últimos meses:

Nubank

David Vélez, do Nubank Nubank: empresa levantou 1,2 bilhão de dólares nos últimos sete anos

Nubank: empresa levantou 1,2 bilhão de dólares nos últimos sete anos (Germano Lüders/Exame)

O unicórnio dominante das fintechs latinas recebeu um aporte de 400 milhões nesta quinta, o que fez com que a avaliação de valor de mercado da companhia chegasse a 25 bilhões de dólares.

A sétima roda de investimentos do Nubank foi liderada pelo GIC, fundo soberano de Cingapura, o investidor em tecnologia Whale Rock e a Invesco. Investidores mais antigos como Sequoia, Tencent, Dragoneer e Ribbit também participaram.

Nos últimos sete anos, a empresa levantou 1,2 bilhão de dólares em várias rodadas de captação com fundos de venture capital.

Wildlife

Arthur Lazarte, Victor Lazarte e Michael Mac-Vicar, fundadores da Wildlife Wildlife: startup é avaliada em 3 bilhões de dólares

Wildlife: startup é avaliada em 3 bilhões de dólares (Germano Lüders/Exame)

Em agosto do ano passado, a startup de games Wildlife recebeu um aporte de 120 milhões de dólares do fundo americano Vulcan Capital, braço de investimento da empresa filantrópica criada pelo cofundador da Microsoft, Paul Allen. Com o investimento, a empresa passou a valer 3 bilhões de dólares, se consolidando como um unicórnio.

O aporte marcou um ano positivo para a startup, que cresceu expressivamente durante a pandemia do novo coronavírus. A empresa acumulou mais de 2,6 bilhões de downloads e viu a base de usuários de seus principais jogos, Tennis Clash, Zooba e Sniper 3D, crescer entre 30% e 50% nos últimos cinco meses – números que encheram os olhos dos investidores.

Madeira Madeira

madeiramadeira unicornio softbank aporte MadeiraMadeira: empresa se tornou um unicórnio neste mês

MadeiraMadeira: empresa se tornou um unicórnio neste mês (MadeiraMadeira/Divulgação)

Logo no começo deste ano, a startup de móveis MadeiraMadeira recebeu um aporte de 190 milhões de dólares em uma rodada de investimentos liderada pelo conglomerado japonês SoftBank e a gestora brasileira Dynamo.

Isso fez com que a companhia passasse a valer mais de 1 bilhão de dólares, tornando-a um unicórnio.

VTEX

VTEX: startup virou um unicórnio após aporte milionário

VTEX: startup virou um unicórnio após aporte milionário (VTEX/Divulgação)

A companhia VTEX, de comércio eletrônico, recebeu um aporte de 225 milhões em setembro do ano passado, o que a colocou no grupo dos unicórnios brasileiros após 21 anos de sua fundação, com uma avaliação de mercado de 1,7 bilhão de dólares.

O investimento foi feito em uma rodada de captação série D liderada pelo fundo Tiger Global com participação da Lone Pine Capital.

Creditas

creditas_bcred_sergio_furio_tete_fintech Creditas: startup recebeu aporte de 255 milhões de dólares

Creditas: startup recebeu aporte de 255 milhões de dólares (Montagem de Leandro Fonseca/Divulgação)

No final de 2020, a startup de crédito Creditas recebeu um aporte de e 255 milhões de dólares, levando a avaliação de mercado da empresa para a casa dos 1,75 bilhão de dólares.

A rodada série E foi liderada pelo LGT Lightstone e teve participação dos fundos Tarsadia Capital, Wellington Management, e.ventures e Advent International.

C6 Bank

C6 Bank: banco digital anuncia rodada de aporte de R$ 1,3 bilhão C6: empresa é avaliada em 11,3 bilhões de reais

C6: empresa é avaliada em 11,3 bilhões de reais (C6Bank/Divulgação)

Um dos maiores bancos digitais do Brasil, o C6 Bank recebeu um aporte de 1,3 bilhão de reais também em dezembro do ano passado, o que fez com que a companhia passasse a ser avaliada em 11,3 bilhões de reais.

Com o aporte, o C6 se tornou oficialmente um unicórnio – classificação que os sócios do banco descartam uma vez que, para eles, os reais concorrentes do C6 são os bancos tradicionais, como Itaú, Santander e Bradesco.

Olist

Olist-aporte-softbank Olist: aporte liderado pelo SoftBank foi de 310 milhões de reais

Olist: aporte liderado pelo SoftBank foi de 310 milhões de reais (Julia Yazbek-Endeavor Brazil/Divulgação)

Liderado pelo SoftBank, o aporte da Olist foi de 310 milhões de reais. Além do SoftBank, participaram da rodada de investimento os fundos Valor Capital; Península Investimentos; VELT Partners; FJ Labs; e o investidor Kevin Efrusy, um dos primeiros a apoiar o Facebook.

O principal objetivo da Olist, conhecida como "marketplace dos marketplaces", é ligar pequenos lojistas a grandes empresas, como Magazine Luiza, Americanas e Mercado Livre.

Neon

Neon: valor de investimento foi de 1,6 bilhão de reais

Neon: valor de investimento foi de 1,6 bilhão de reais (Neon/Divulgação)

A captação da Neon Pagamentos de 1,6 bilhão de reais aconteceu em uma rodada Série C liderada pelo General Atlantic em setembro do ano passado.

Participaram da rodada de investimentos nomes de peso como a BlackRock, maior gestora do mundo, e o PayPal Ventures, o braço de venture capital do PayPal. Vulcan Capital e Endeavor Catalyst também entraram no capital da fintech.

Neologica

 (Neologica/Reprodução)

Em novembro de 2020, a startup de tecnologia Neologica recebeu um aporte de 550 milhões de reais, liderada pelas gestoras Crescera e Vulcan Capital.

Conductor

cartão virtual unionpay UnionPay cria cartão para pagamentos com criptomoeda

UnionPay cria cartão para pagamentos com criptomoeda (hqrloveq/Getty Images)

A startup de processamento de pagamentos Conductor conquistou, em 2020, uma das maiores rodadas de investimento com uma captação de 170 milhões de dólares.

Participaram os fundos Viking Global Investors, Sunley House Capital, Advent International e Temasek.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.