Tecnologia

Twitter anuncia regras mais rígidas de conteúdo antes de eleições nos EUA

Empresa afirma que tomará medidas para evitar falso compartilhamento de resultado eleitoral ou incitação a atos que promovam interferência nas eleições.

Twitter: rede social terá regras para compartilhamento de conteúdo durante as eleições americanas (Andrew Burton/Getty Images/Getty Images)

Twitter: rede social terá regras para compartilhamento de conteúdo durante as eleições americanas (Andrew Burton/Getty Images/Getty Images)

TL

Thiago Lavado

Publicado em 9 de outubro de 2020 às 16h03.

Última atualização em 9 de outubro de 2020 às 16h57.

Entre as redes sociais, o Twitter tem implementado diversas medidas para reduzir os problemas gerados pelo compartilhamento de desinformação, ainda mais à frente das eleições americanas que acontecem no próximo dia 3 de novembro. Nesta sexta-feira, 9, a empresa anunciou mais iniciativas nesse sentido: a partir de agora, os usuários do site receberão a opção de comentar um tuíte sempre que clicarem no botão de retweet, ao invés de simplesmente compartilhar o conteúdo diretamente. A novidade está em testes no Brasil e vale somente para o site no desktop.

A rede social também apresentou políticas de conteúdo, que serão implementadas a partir de 20 de outubro, e que vão, entre outras funções, impedir que resultados de eleições sejam declarados por usuários antes de divulgação oficial. O convite à reflexão, em testes no Brasil, será também expandido a partir dessa data.

"Estamos anunciando hoje atualizações adicionais em nosso produto e na imposição de nossas regras que proverão mais contexto e incentivarão reflexões antes que tuítes sejam amplificados na plataforma", disseram Vijaya Gadde, diretora de assuntos legais, e Kayvon Beykpour, diretor de produto, em um blog oficial da rede social.

Além disso, a empresa anunciou que vai remover conteúdo que incite interferência no processo eleitoral e que vai implementar redirecionamento de página em alguns casos. Isso vai acontecer quando candidatos e usuários declararem vitória antes da oficialização dos resultados das eleições ou quando alguém tentar compartilhar informação enganosa. Em ambos os casos, haverá redirecionamento para uma página com informações verificadas sobre o assunto.

O Twitter está tentando lidar com o problema de desinformação nas redes desde o ano passado, quando anunciou a proibição de propaganda política na plataforma. Em fevereiro deste ano, a empresa anunciou que combateria mídias manipuladas e, em maio, que inseriria avisos e alertas sobre informações enganosas e prejudiciais.

Correção: uma versão inicial deste texto dizia que as novidades passavam a valer a partir de agora, mas isso vale apenas para o teste no Brasil. As outras mudanças serão implementadas em 20 de outubro. A informação foi corrigida às 16h38.

 

 

 

 

 

Acompanhe tudo sobre:Eleições americanasTwitter

Mais de Tecnologia

Motorola Moto G24 vale a pena? Veja preço, detalhes e ficha técnica

Samsung Galaxy A54 é bom? Veja preço, detalhes e ficha técnica

Samsung Galaxy M35 vale a pena? Veja preço, detalhes e ficha técnica

Samsung Galaxy S23 FE vale a pena? Veja preço, detalhes e ficha técnica

Mais na Exame